05/11/2018
A pior monstruosidade de um ser humano

Porta voz

Logo que fui convidada para ser colunista desse jornal, eu escrevi sobre uma menina que conheci ainda muito jovem. Na ocasião, intitulei a crônica como “VITA”.

Talvez seja interessante os leitores relerem essa história, para melhor compreenderem o que vou contar agora.

Eu a conheci com 15 anos e estamos juntas a 25 anos, sendo que mesmo no período em que morei fora de Santos, nosso contato era permanente.

Mas o pedido que me fez recentemente, apesar de eu conhece-la tão bem, pegou-me de surpresa...

Quando um ser humano ainda criança é obrigada a se manter calada por imposição daquelas pessoas que deveriam ser seus protetores, que ao contrário a torturaram durante muitos anos, é obvio que disso resultará em graves problemas de ordem emocional e física.

Foi esse silencio que agora ela quer quebrar, mesmo que seja através de minhas palavras aqui escritas, para que sirva de exemplo para muitos que julgam essas atrocidades impossíveis dentro de seu lar.

Pois bem, Vita é filha de pais que têm uma boa posição econômica, moram hoje num bairro nobre da cidade, têm casa com piscina, desde os tempos que apenas os muito abastados tinham.

Seus pais sempre trabalharam fora, mas não tinham a precaução de ter uma pessoa que cuidasse de seus filhos: Vita e um irmão. Então desde muito cedo essa menina teve que se levantar-se de manhã, preparar o café para os dois, ir para a escola sozinha, enfim nunca foi uma criança que pudesse contar com a atenção dessa mãe, que na folga semanal, saía de casa para resolver os assuntos pendentes, deixando Vita e seu irmão aos “cuidados do pai”.

Esse “pai” que deveria pelo menos uma vez por semana, alimentar devidamente, levar à escola, enfim, cumprir seu papel, fazia exatamente o contrário:

Colocava a pequenina Vita para fora da casa, e a mantinha lá presa, sem que ela pudesse entrar, independente de seu choro e ainda era ameaçada para não contar para sua mãe, quando essa chegasse em casa...E sabem o que “esse pai”, estava fazendo lá dentro?

O infame abusava sexualmente de seu filho de 6 anos de idade.

Sim, meus caros leitores, o próprio pai.

E isso por volta dos anos 80.

O maléfico um português cuja rigidez era severa para a sociedade, não passava de um crápula dentro de casa.

Foram muitos anos de tortura dessas crianças...

Vita, passou a descontar sua carência na comida e tornou uma criança que mal falava.

Calou-se até quando um rapaz vizinho aproveitou desses momentos que a pobre ficava presa do lado de fora da casa a violentou.

Calou-se...Sempre calada...

Sua mãe como sempre, não tinha tempo para olhar para seus filhos, pois estava ocupada demais em fazer aumentar a fortuna que tanto a orgulhava.

Até que um dia, foram fazer uma viagem de lazer e o seu precioso marido, inventou uma desculpa para que ela e Vita saíssem do hotel, para que ele sozinho com o filho, fizesse seu papel de monstro pedófilo.

No entanto, como se alguma coisa a fizesse voltar, a mãe retornou e ao entrar no quarto onde estavam hospedados, viu a pior cena de sua vida...creio que não preciso descrever aqui.

Para Vita e seu irmão, era o fim do pesadelo.

Puderam enfim contar tudo para a mãe sem medo de morrer conforme o monstro os ameaçava.

Qual seria a atitude de uma mãe numa situação dessas, meus caros leitores?

Denunciar? Separar-se? Mata-lo?

Eu confesso que não sei o que faria...

Mas sabem o que ela fez, depois do impacto, da briga, da confissão das crianças e daquele monstro?

Apenas aceitou a promessa dele que nunca mais se aproximaria do filho, separou-se de quarto, e permaneceu com esse ser infame, pois afinal o escândalo na opinião dela, seria muito mais desastroso para todos.

Não estou aqui para julgar, mas com essa atitude ela apenas o incentivou a continuar com seus crimes com outras crianças inocentes.

Houve até outro flagrante, onde ele calou a pessoa com uma quantia volumosa de dinheiro, já que a pobre criança envolvida era excepcional, e não era filha de sangue da suposta “mãe de família”

De tudo isso, resultou dois jovens traumatizados e revoltados: Vita e seu irmão.

Ela estudou e formou-se em duas faculdades. Ele perdeu-se pelo caminho, mas luta até hoje para ser uma pessoa “normal...”

Ela ficou obesa, e breve fará uma cirurgia bariátrica, para que junto com os tratamentos psiquiátricos e terapêuticos, consiga o equilíbrio para seguir sempre em frente, apesar de tudo.

O sentimento que eles têm em relação à essa mãe é de pena.

Essa criatura ainda hoje, cuida daquele homem que destruiu seus sonhos, pois ele é agora doente e vive com o desprezo dos filhos.

Essa é a triste história de Vita, minha querida menina que apesar de tudo, ainda acredita que pode ser feliz.

Está aqui, como prometi a você minha querida, um alerta para que todos nós estejamos com fé nas pessoas, mas vigiando sempre, afinal Jesus disse:

“Orai e Vigiai”.

Selma Esteticista

COMENTÁRIOS:

COMENTÁRIOS

Cintia: Triste.... principalmente sendo tão próximos.... tenho uma intuição q se fosse comigo mataria!

Leila Maria: Selma, que horror!!! Ficamos sem palavras diante dessa situação... só vontade de acabar com esse homem

Purita: 😓😓😓😓😓😓😓

Telma: É de horrorizar a degradação a que chegam alguns seres humanos. Uma situação como essa é inconcebível, tamanha crueldade e horror.

Nem é possível imaginar o tamanho das marcas que ficaram nestes filhos, marcas essas que nunca se apagarão e deixarão feridas que dificilmente cicatrizarão. Deus abençoe essas vidas.

Izabel: Infelizmente casos como esse são frequentes. É terrivelmente assustador.

Sonia Leme: Nossa Selma que história triste. Pobre crianças, quanto sofrimento e abandono!!! 😟😢

Nancy: Nossa!!!😔 Q situação. Nem tenho o q comentar. Vou orar por esta moça. Deus com certeza amor é estará com ela no colo.

Elisabete: Olá prima, desculpe-me a demora, sim li e sempre me impressiona a maldade do ser humano. Penso que as pessoas que vivem este drama estão sempre envolvidas com pessoas que dão mais importância ao exterior do que ao interior de suas famílias e casas.

Infelizmente estas histórias acontecem desde sempre, e atualmente estão aumentando pois vivemos no mundo do face, do insta e WhatsApp. Creio que muito tem a ver com vidas anteriores, karma, e também com a falta de amor e fé, e livre arbítrio, tenho visto muitas pessoas que, por amor aceitam as maiores perversidades ou se jogam na bebida, ou por dinheiro vendem corpo, filhos e irmãos. Acredito que se deixarmos o amor brotar dentro de nós e ajudarmos mais as pessoas, no futuro, não tão próximo😔, poderemos melhorar nossa evolução. E uma história triste que aceita muitos pontos de vista, mas o olhar que mais se adequa ao meu e o amor, tem sim muita discussão sobre o assunto ainda,

Desculpe me pelo textão. Bjs

Grata.

Telma Eliana: Nossa Selma que história mais triste.... Pessoas que tem o papel de proteger e ao invés disso destroem psicologicamente o outro para sempre!! Ser molestado ainda criança já deve ser muito triste, ainda mais pelo pai.... Não sei se trata de incesto ou homossexualismo.... Porém sei que a cabeça desses jovens jamais seria curada dessa triste lembrança! Espero que tenham encontrado a paz interior e o perdão para c os pais, porém acho muito difícil!!

Flavia Cascione: Nossa que monstro destruidor de vidas....

E ainda tem que cuide dele .... affff

Marinilze: Nossa que caso mais triste. Eu não consigo nem imaginar o que faria não só com o pai monstro como essa mãe, se e que se pode chama-la assim pois é tão culpada quanto o marido monstro. Tenha a certeza que Deus na sua bondade infinita dará aos jovens o conforto que necessitam e a esses monstros creio que não ficaram sem o merecido castigo seja nessa vida ou em outras encarnações.

Selma: Achei muito triste a história, mas necessária essa divulgação. Casos que nem esses ocorrem muito... Só que ninguém fala. Precisamos falar mais sobre isso!

Laura Jane: 😔😔 Q história infame!! E o pior de tudo é que devem existir outras iguais por aí... Muito importante denunciar esses absurdos, pois se não há meio de impedi-los totalmente, pelo menos existe uma chance de diminuir a ocorrência. E que Deus julgue e aplique as devidas penas que se fizerem justas.

Nildinha: Que triste! A gente nunca imagina uma coisa dessas!

Vania Loira: Inacreditável que um pai faça uma barbaridade dessas com um filho. A posição da mãe então, apesar de ser mais corriqueira. Muitas mulheres agem assim por medo de encarar a vida sozinhas (mas nem era o caso), triste! Que eles possam se recuperar destas atrocidades vividas na infância. Que ela possa encontrar um caminho de paz e luz

Da vontade de dar uma surra nos 2. Mas não nos cabe o julgamento.

Nem a violência. Não sabemos o pq esses dois passaram por isso tudo é quais suas superações

Bete: Meu Deus que absurdo quantas crianças ainda sofre com esses monstros por esse mundo muito triste😭😢😵😷😭😭

Tereza: Que triste história é de fazer agente chorar como tem pessoas perversas más que adianta dinheiro e não ser feliz esse não é pai e sim um monstro.

Darlene: Nossa que triste

Carol: Muito triste mesmo😔😢

Andresa: Triste mesmo

Tutcho: Infelizmente isso é mais comum do que podemos imaginar. Segundo li, acontece em todos os níveis sociais e intelectuais. Muito, muito triste.

Miriam: Muito triste, mais uma grande realidade. De tudo que aconteceu, eu acho que mãe foi mais errada, se quando ela descobriu, tivesse agido, o sofrimento deles seria menor, mas é muito bom pra refletir.

Dinha: Me faltam palavras

Maria Do Amparo: que revoltante o que acontece em muitos lares ainda hoje em que pessoas que se dizem mães submetem os filhos a essas atrocidades. Que essa guerreira da crônica possa um dia ser muito feliz, ela merece.

Renata Fefin: É muito revoltante saber que tantas e tantas mulheres e crianças passam por essas situações e não têm a quem recorrer, nem àqueles que deveriam zelar pela segurança e bem-estar delas. Imagino a destruição psicológica. Difícil recuperar. Confiar em quem se quem deveria proteger é justamente quem agride?

ENVIE SEU COMENTÁRIO:

www.caieiraspress.com.br

 



Leia outras matérias desta seção
 » A pior monstruosidade de um ser humano
 » Minha Barbie
 » Uma história de amor
 » Aniversário
 » Abrindo o Baú...
 » Sorrir sempre
 » Direito de Resposta do Mr. Brom
 » Mr. Brom
 » Uma mulher singular
 » Insanidade
 » Divisor de àguas
 » A dor da perda é o tamanho do amor.
 » Enfim
 » Alçando vôo
 » Era uma vez...
 » Triste sina...
 » Voltei para o meu jardim
 » As inseparáveis
 » Idas e vindas
 » As balas

Voltar