O$ TRAN$KETEIRO$

O$ TRAN$KETEIRO$

Hermano Leitão e Thiago Gomes

Comédia em três atos

Personagens:

Big Boss: 45 anos, expoente máximo do sistema capitalista. Presta consultoria para a Bolsa de Valores e grandes investidores. Dono da Consultoria Invisible Hand, Mão Invisível;
Dona Regina Corsa: 32 anos, secretaria do Big Boss. Faz cinco anos que não tira férias. Responsável pela agenda do chefe. Está se separando do marido;
Dra. Vivi Grimaldi: 27 anos, psicóloga que está preste a receber uma “herança” de um irmão que nunca teve. Expert em driblar problemas financeiros;
Henriquinho Pinto: 29 anos, filho de um mega industrial do cimento. Acabou de assumir interinamente por um mês o negocio do pai, que pela primeira vez em cinqüenta anos tira férias;
Selton Izza: 27 anos, analista de sistemas, recém formado. Atua na área de venda de software de produtividade empresarial em seu primeiro emprego.

Dr. Rizaldo Tubao: 36 anos, ginecologista e veterinário. Separou-se da mulher e ficou com uma fazenda de vacas leiteiras.

Estrutura:

A comédia se passa na Consultoria Mão Invisível. Uma confusão se arma quando um vendedor de software é confundido com candidato à vaga de Assistente Sênior de Investimentos – I S A (Investment Sênior Assistant). O primeiro ato apresenta os personagens e arma a trama de desencontros. O segundo ato mostra o ápice das confusões. O terceiro ato desenlaça no que for possível os estragos.

ATO I

CENA I

Selton Izza

As coisas sempre acontecem de forma misteriosa na minha vida desde meu nascimento, contam os meus parentes. Pra começar, no meu parto, a primeira coisa que saiu foi minha bunda. E por coincidência, confundiram a minha mãe com a filha do Prefeito e tivemos muita mordomia no Hospital. Durante minha infância brincava muito e por coincidência meu tio e minha tia que não podia ter filhos me davam muitos brinquedos. Em amigos secretos sempre duas pessoas tiravam o meu nome. Estudava em escola pública, apesar de ser de família de classe media, pois não queria onerar o meu pai, porque minhas duas irmãs estudavam em colégio particular. E por coincidência, quando eu estava na 8ª série, o Banco do Brasil fez um concurso para vagas de estagiários a serem preenchidas por alunos pobres da rede pública. No dia da entrevista, coloquei uma camiseta branca, uma calça jeans e um sapato social. Por coincidência, quando fui descer do ônibus, enganchei a camiseta em um arame e rasguei a camiseta, alem de cair bem dentro de uma poça de água, mas a minha sorte é que a água não cheirava mal. Ao entrar na sala de entrevista, as psicólogas me trataram super bem e não tiravam os olhos da minha camiseta. Sai da entrevista com a vaga e ainda um vale compras de R$1.000,00 para roupas sociais. Quando faltava uma semana para terminar o estágio, estava saindo do elevador e vi um homem tropeçar nos cadarços e se enganchar na porta do elevador. Consegui puxá-lo e salvar sua vida. E por coincidência era o Presidente do Banco, que me agradeceu muito e me promoveu para que eu continuasse trabalhando no banco. Ai comprei meu primeiro carro através de um financiamento em 54 parcelas no valor de quase todo meu salário. Por coincidência o Banco faliu e a minha divida foi paga pelo governo através do PROER. Então sobrou dinheiro para eu fazer a faculdade de análise de sistema onde desenvolvi um programa de catraca eletrônica, outro de controle de cartão de ponto e outro de prognósticos de sorteio, que por coincidência foi comprado pelo Deputado João de Deus e depois serviu para o Roletrando do Silvio Santos. Ganhei o prêmio jovem cientista ao sistematizar a freqüência do impulso consumista das mulheres durante a menstruação. E por coincidência meu tio montou uma franquia de produtos de informática e incluiu meus sistemas. Hoje vendo esses softwares com entrevistas agendadas. Já vendi para a Rede Globo, para a BOVESPA, para o SBT e para as lojas Marisa. E por coincidência tenho uma entrevista hoje com uma grande consultoria.

CENA II


(Dona Regina Corsa está muito nervosa ao telefone em conversa com o marido sobre as cláusulas da separação. Selton Izza Chega para marcar uma entrevista e é confundido).
Regina – Não, Otavio Augusto. Além de eu estar cheia de problemas vaginais, eu estou cheia de seus rolos. Não vou passar cheques de valor inferior para o senhor fingir que está cobrindo a sua conta e liberar saque com gerente babaca, para depois eu correr atrás de cobrir a minha.
(pausa) – mvkldfjsdjkvdjfhdn hvsd.
Regina – Já disse que não. O meu gerente já manjou este jogo de cheque. Se quiser, faça um depósito com envelope vazio no BDN, porque eu não vou somatizar essa tensão na minha chana, para depois ficar horas fazendo cauterizações.
(pausa) – gkagf kosdjfklasjdfjksdfkdklj.
Regina – Problema seu, do Roberto Carlos e das baleias! O que eu quero saber é se você já passou na advogada e assinou os papéis da separação, porque você vai ter de pagar minha laparoscopia, a ultra-sonografia e a pensão alimentícia do nosso filho.
(pausa) – kkanmfeurkwefjksdfjkcvsbl.
Regina – Ele faz balé porque gosta e eu não vou tirá-lo da dança, para você gastar dinheiro com drinks no happy hour do Spot, enquanto eu estou no ginecologista pondo minha caçapa em ordem.
(pausa) – opoiopioerjuifheruifhifsnlaalzn.
Regina – Ele estuda no Dante Alighieri, para ter boas relações e se preparar para fazer faculdade de Belas Artes ou Artes Cênicas. Eu não vou colocar em outra escola.
(pausa) – rereioropiofjscmvnsdkjghwsjqodiraaa.
Regina – E daí que ele só tem nove anos? Quando casei com você e comecei ter problemas na minha xoxota só tinha 17 anos.
(pausa) – mamamamnrjewojoijoauifjkjsdfjho.
Regina – Olha aqui, minhas contas e meus três cartões estão todos estourados, por causa de suas manobras financeiras, e eu já estou cheia de passar pomadinhas e cremes vaginais, porque você esquece de passar no seu pirulito e não quer fazer sexo oral. E no mais, faz cinco anos que não tiro férias. Para mim, é ponto final.
(pausa) – amermmwemtjergjçcn vajfanfoiafu.
Regina – Não quero saber. Ou você concorda com a separação ou eu arranco meu útero e vou ... (Entra Selton Izza e Cumprimenta Regina) desligar. Ponha o envelope e passe na farmácia e compre uma caixa de Tetrex 500. (Para Selton) Boa tarde! O senhor é...
Selton Izza – Boa tarde! Selton ... Izza.
Regina – Ah, o ISA – Investment Sênior Assistant! O senhor chegou cedo, mas vou anunciá-lo. (Vai saindo)
Selton Izza – (sozinho) Assista o que?

CENA III

(Dona Regina entra na sala do Big Boss; ouve-se barulho de alguém mictando. Big Boss aparece, e Regina noticia a presença do candidato à vaga).

Regina – Dr. Big, o candidato agrave; vaga de ISA – Investment Sênior Assistant -, já chegou. O senhor quer que eu o faça esperar ou prefere antecipá-lo?
Big Boss – Gosto de homens que comparecem cedo! Mande-o entrar agora mesmo, porque hoje estou com gases.
Regina – Ok. Mas o senhor quer que eu vá pegar Luftal na farmácia do DP, porque eu conheço essas crises pós lasanha. Meu marido não me respeita nem na cama e tem a pachorra de sacudir o edredom pós peido.
Big Boss – Está bem! Mande o rapaz entrar e vá buscar a droga, porque em seguida quero ir ao jóquei, e flatulência é como viagem de navio, quando você se acostuma, as pessoas descem do navio porque a viagem acabou.

(Na ante-sala)
Regina – O Dr. Big, apesar de estar cheio de coisas, vai atendê-lo imediatamente. Vamos lá!
Selton – Ok!
(Na sala)
Regina – Dr. Big, esse é o Sr. Selton do ISA (AI ESSE EI).
Big Boss – Como vai, meu rapaz?
Selton – Ótimo! Obrigado pela oportunidade, Dr. Big.
Big Boss – Ora, meu jovem, a oportunidade é como rabo de cavalo, a gente tem de estar preparado para afastar os incômodos ou dar um coice em quem quer montar na gente. E no mais você deve ter passado por várias entrevistas para chegar ate aqui.
Selton – Perfeito. Mas meu lema é: uma de cada vez.
Big Boss – Claro, não adianta queimar etapas. É como rosca de engrenagem, tem de ser bem rosqueada, senão espana. Agora, conte-me um pouco da sua experiência...
Selton – A última foi na Bolsa de Valores...
Big Boss – (levanta-se e se dirige ao banheiro) Ótimo! (ouve-se um peido).
(Dona Regina entra nervosa)
Regina – Dr. Big, desculpa atrapalhá-lo, mas é urgente.
Big Boss – Já que entrou, agora complete o serviço. O que foi?
Regina – O presidente da Bovespa quer sua opinião para justificar a queda da Bolsa hoje, porque as congêneres da Europa e dos Estados Unidos estão operando em alta, o ouro, o petróleo e os juros caíram, e o cenário está ótimo.
Big Boss – É uma situação complicada, mas ainda bem que temos aqui um especialista em Bolsa de Valores. Sr. Selton, o que o senhor acha que os investidores querem?
Selton – Lucro.
Big Boss – Mas é claro! Você é um gênio meu rapaz! Você foi feito para essa função. Dona Regina, diga ao presidente que apesar do ótimo cenário econômico, a Bolsa está registrando uma queda sensível, porque os investidores querem realizar lucro e estão fazendo ofertas de ações no pico – o que é muito saudável.
Regina - Ainda não deu tempo de ir a farmácia, mas eu trouxe o Bom Ar. Com licença.
Big Boss – (Para Regina) Ótimo! Mas providencie logo, porque vou encontrar uma pessoa importante no jóquei.
Regina – Sim, senhor!
Big Boss – (Para Selton) Vou encontrar uma amante, e amante é como intervenção estatal na vida econômica, tem enorme influência na renovação e na reformulação da política de livre mercado, quanto mais elas dão, mais baratas ficam, uma situação temporária que desaparece graças às forças do mercado. O objetivo é manter o crescimento da demanda em paridade com o aumento da capacidade sexual produtiva, de forma suficiente para garantir uma ereção potente, mas sem excesso, pois isto provoca um aumento da inflação do pênis.
Selton – Ouvi falar que as amantes sofreram severas críticas em quase todos os países industrializados, porque o nível de vida crescente alcançado nos 25 anos posteriores à II Guerra Mundial foram seguidos pela inflação do pênis.
Big Boss - Todos admitiram que seria difícil conciliar a produtividade sexual e o controle da inflação, considerando, as negociações das ex-mulheres com os empresários por aumentos de pensões alimentícias. Por esta razão, foram tomadas medidas que evitassem o crescimento dos salários e preços. Mas a partir da década de 1960 os índices de inflação foram acelerarados de forma alarmante. Ai todo mundo começou a dar pra todo mundo... Selton – Acho que é como o sistema de catraca eletrônico, todo mundo acaba tendo acesso a nova tecnologia.
Big Boss – Rapaz, eu não tenho dúvida. Você é o executivo que eu estava procurando. Mas não vá ficar cheio de si por eu ter dito isso, porque o salário já esta determinado em R$20.000,00 (vinte mil reais), por mês mais os benefícios extraordinários da Invisible Hand. E não diga que não aceita por eu não recebo não.
Selton - Vinte mil por mês?!
Big Boss – É pouco para a posição, mas é o início de uma grande carreira...
(Dona Regina interrompe)
Regina – Dr. Big, desculpe-me interromper mais uma vez, mas é que recebi um telefonema agora dos EUA, e o senhor foi o vencedor do prêmio AIA – (EI AI EI) Annual Investor Award, e tem de ir para Miami amanhã, para receber o troféu e um cheque de US$100,000.00 (cem mil dólares).
Big Boss – Então, a senhora tem de organizar tudo rapidamente, porque um cheque de US$100,000.00 (cem mil dólares) não pode ficar esperando. Faça o seguinte, encaminhe o Sr. Selton para o DP, para que providencie a contratação imediata dele. Quero que ele assuma agora. Dispense eventuais outros candidatos e burocracias de praxe. Passe minha agenda de investidores de amanhã para ele. Telefone para minha mulher avisando que já fui para Miami. Providencie duas passagens, hotel com quarto duplo, e o de sempre. E avise ao motorista que vamos agora para o jóquei. Ah! Telefone para a dona Katharina, no celular, para avisá-la que nós vamos para Miami, ok?
Regina – Pode deixar que já está tudo no esquema. E aproveitando que vou ao DP, vou pegar também o remédio, pois o senhor não saia antes de tomá-lo, porque a situação fica terrível dentro do avião.
Big Boss – Dê o seu máximo, garoto. Qualquer coisa pergunte a Dona Regina.

CENA IV

(Dona Regina ao telefone com o marido. Passa a agenda com Selton. A cada anuncio do investidor a ser recebido, acontecem solilóquios – os três investidores dão um resumo de suas vidas).

Regina – O doutor Gonado Trofina, que é o melhor ginecologista do Pérola Bygnton, disse que eu preciso de hormônio estimulante do folículo e do hormônio luteinizante.
Pausa – faksdjfsduifuidfjkasdfan.
Regina – Significa que você vai ter de aumentar sua proposta de pensão alimentícia, porque eu não tenho dinheiro para comparar o figurino de brocados e pérolas do nosso filho.
Pausa – mdnvuifaeifjsdfjshafpa.
Regina – Você natildeo está entendendo, Otavio Augusto! O nosso filho foi escolhido para interpretar O lago dos cisnes, As sílfides, Giselle e a dança do coco no Ceará, ele é a reencarnação de Rudolf Nureiev. E eu ainda tenho quinze sessões de cauterizações...
(Selton chega)
Selton – Bom dia, dona Regina!
Regina – Bom dia, Dr. Selton! (ao telefone) Vou ter de desligar, fale com minha advogada agora de manhã, porque ela tem consulta no ginecologista à tarde. Tchau! (para Selton) Dr. Selton, o Sr. quer passar a agenda agora?
Selton – Claro, dona Regina. O que temos?
Regina – O Senhor Pinto, primeiro...
Selton – O que?
Regina – O Senhor Henriquinho Pinto às nove.

CENA VI

(foco exclusivo em Henriquinho Pinto para solilóquio)

Henriquinho Pinto
Quando eu tinha doze anos, um primo meu foi passar as férias na minha casa. Era a primeira vez que eu o via e achei um carinha interessante. Brincávamos o dia inteiro de banco imobiliário, telefone de caixinha de fósforo, desenhos, qual é a musica e outras coisas que fazíamos com as mãos. Um dia começamos a falar de pênis e em seguida de bunda. Eu não sabia nada. Ele sabia tudo. Ai, ele mostrou o pinto dele e falou para eu mostrar o meu. Depois que comparamos o tamanho, ele disse que podia por na bunda dele. Foi tão inesperado que não tive reação. Na verdade, eu disse que estava com vontade de chupar um sorvete e fomos para a cozinha. Fiquei sem gostar de sexo ou de experimentar até completar treze anos, quando fui passar as férias na casa da minha avó. Encontrei lá duas primas muito bonitas, que me chamaram para brincar de médico. Certa altura, as duas ficaram peladas e me amassaram detrás da porta do quarto da vovó. Fiquei muito nervoso, com muita vontade de fazer xixi, e corri para o banheiro para não mijar ali. Então fiquei sem gostar de sexo e de experimentar até completar quinze anos. Foi quando conheci uma garota dez anos mais velha do que eu na fazenda do meu tio, onde passava as férias. Organizaram uma quadrilha de São João e ela me escolheu para ser seu par. Depois da quadrilha, tomamos muito quentão e assamos muitas batatas doces. Ai ela me chamou para o currau. Lá ela tirou a roupa e se deitou na cocheira. Eu também tirei a roupa e deitei em cima dela. Quando estávamos nos beijando, senti um negócio áspero e úmido na minha bunda. Era o touro Tolentino, mais bravo que sogra com genro endividado. Fugimos. Ai fiquei sem gostar de sexo e de experimentar até os dezenove anos, quando fui passar férias em Urbelândia e a secretária do meu pai apareceu lá para eu assinar uns papéis que eu tinha esquecido. Ai ela disse que estava com vontade de sair à noite para dançar. Então eu falei que passava no hotel para pegá-la às oito. Fui logo me prevenindo, passei na farmácia e comprei uma pomada para ereção instantânea. Ai, depois que a gente tinha se esfregado a noite inteira na boate, levei a moça para o hotel. Entrei no banheiro e passei a pomada. Funcionou tão rápido que latejava. Quando ela viu aquilo, caiu de boca nele. Mas ai a boca dela adormeceu e começou a babar. Eu fui ao banheiro me lavar, mas esporrei sozinho. Então fiquei sem gostar de sexo e experimentar até os vinte e três anos, quando meu pai mandou eu fugir com a filha de seu maior concorrente. Ela era doida por mim. Então fugimos, mas o pai dela teve um ataque cardíaco e nós voltamos de imediato. Ele se restabeleceu e nos obrigou a casar, porém logo após a cerimônia, ele teve um ataque fulminante do coração. De luto, minha esposa recusou-se por esses últimos cinco anos a ter relação sexual comigo, por culpar-me da morte do pai dela. Agora tenho um império da indústria do cimento em minhas mãos e preciso mostrar serviço para o meu pai, que pela primeira vez em cinqüenta anos vai tirar férias. Tenho de recorrer a Invisible Hand.
(Volta para o dialogo)
Regina – Ele quer introduzir algo consistente no mercado de varejo, para reabilitar o prestígio do império do falecido (sogro) e fazer sua esposa se abrir para a vida.
Selton – Temos de sugerir um instrumento de potencialização da área de influência de uma indústria para a outra e fazer uma tentativa de a mulher dele dar uma abertura, para ele consubstanciar agressivamente a noção de contenção - como no sistema de catraca, que você tem de empurrar.
Regina - Nos anos do imediato luto, a empresa atravessou uma profunda crise econômica, dramatizada pelo relacionamento deles, pelo crescimento dos juros, queda vertiginosa das exportações, e o sofrimento da esposa com uma inflamação vaginal terrível.
Selton – Vou receitar um ambicioso programa de transferência de ativos de um lado para o outro, através da concessão de fundos, créditos e suprimentos materiais a juros irrisórios, a retomada de trocas equilibradas e o retorno aos antigos fluxos intra-fábricas. Quem sabe ela não da uma chance para ele.

Dona Regina – O Dr. Big sempre oferece também ações de multinacionais, porque as comissões para nós são ótimas.
Selton – Claro! E o que temos mais?
Dona Regina – O Dr. Rizaldo Tubao...

CENA VII

(foco exclusivo em Rizaldo Tubao para solilóquio)

Rizaldo Tubao

Desde criança gostei de animais. Meu primeiro animal de estimação foi uma cadela, que coloquei o nome de Samantha, com “th” no final. Ela acompanhou quase toda minha infância, depois fugiu de casa com um “pintcher” vira lata. Meu sonho sempre foi cuidar de fêmeas de grande porte, e aos 15 anos ganhei uma égua, que minha tia me deu em homenagem ao carinho que tinha com a minha prima. Deu pra entender ou não? O tempo passou e entrei na faculdade de medicina. Queria ser ginecologista e entender melhor as mulheres. Neste tempo de faculdade me afastei um pouco das fêmeas maiores, e fiquei cuidando somente daquelas que cabiam no meu quarto. Antes de me formar conheci minha mulher, seu cabelo lembrava a crina das éguas, e seu corpo então... Lembrava-me uma potranca. Deu pra entender ou não? Casamos e ganhamos de presente uma das fazendas de vaca leiteira que seu pai tinha. Meu consultório ginecológico funcionava na fazenda das 8:00h as 12:00h. E a vizinhança sempre me pedia para acompanhar os partos das vacas e das éguas. Então, resolvi fazer o curso de veterinária também. Era ginecologista e Veterinário. Expandi meu consultório com um puxadinho nos fundos, para abrigar minha clinica veterinária. Sabe que os partos das vacas são sempre mais naturais, porque elas não têm sentimento de culpa nenhuma. Uma vez fiz um parto de uma moça que era virgem e ela desgarrou a chorar três dias por inteiro. A mulher não tem nada de bicho. A cabeça fica variando. Deu pra entender ou não? Minha mulher, por seu turno, gostava de andar a cavalo e cuidar do curtume do pai. Usa botas de couro, chapéu de couro, chicote de couro, jaqueta de couro, cinto de couro. Chegava de noite, era aquele cheiro de couro suado entranhado no corpo. Era difícil eu dar no couro. Deu pra entender ou não? Nosso casamento não deu mais certo. Separamos e mudei pra cidade. Na separação, fiquei com a fazenda de vacas. Logo agora que eu comecei a me interessar por cavalos. Então vou procurar a Iinvisible Hand para saber onde devo aplicar o meu negócio, porque já faz algum tempo que o Dr. Big tem me mostrado como são atrativos os fundos que se encontram no mercado, deu para entender ou não?
(Volta para o diálogo)
Dona Regina – Ele quer fazer um projeto de transferência de fundos e uma carteira especial, porque ele vai se livrar das vacas que a ex-mulher lhe deixou na separação.
Selton – Quais os fundos que ele tem experimentado?
Dona Regina – Não sei bem, mas acho que o Dr. Big fez um mix de fundos fixos e voláteis. Agora essa questão de fundos é igual a problema de vagina, a gente nunca está satisfeita com o resultado, por melhor que seja o montante investido no público e no privado.
Selton – É verdade, mas acho que ele pode arriscar no comércio de couro. A pele das vaca fica mais macia e resistente, quando a curtição é bem feita. O problema reside na quantidade de gestação que a vaca é submetida, porque dilata tudo. De qualquer forma, ele pode vender bolsas de couro legítimo.
Regina – O Dr. Big também oferece seguro de vida, seguro residencial, seguro de automóvel, seguro de rebanho e de órgãos vitais. Eu até já fiz o seguro de minha vagina, porque uma amiga minha me falou que a inatividade provoca câncer.
Selton – Bom, se ele tiver problemas de hemorróidas, no reto ou no ânus, podemos sugerir um seguro especial. Eu tenho um amigo que tem um pênis tão grande que quando se excita entra em estado anêmico.
Regina – Desagradável! Bem, às onze temos a Dra. Vivi Grimaldi.

CENA VIII

(foco exclusivo em Vivi Grimaldi para solilóquio)

Vivi Grimaldi

Minha mãe batia muito em mim quando eu era criança, porque eu costumava comer o almoço de meu irmão lesado, e à noite eu o molhava, porque eu dormia no beliche de cima e tinha incontinência urinária. Como meu problema ginecológico não passava e já tinha 16 anos, sai de casa. Aluguei um quarto na Rua Aurora, e para meu sustento, vendia produtos da Avon, Natura, Hermes e Jazigo do Parque da Paz. Resolvi fazer supletivo e depois passei no vestibular para psicologia da Faculdade dos Evangelistas Integrados, na cidade de Varginha, Minas. Para pagar a faculdade, tive de usar expedientes extraordinários e uma saia bem curta. Certa feita, fui a um baile country e reparei que um bonitão tinha chegado sozinho - na verdade eu estava no estacionamento pondo reparo em quem chegava -, e o segui. Depois que ele já tinha tomado uma dose cawboy, sentei-me ao seu lado e puxei papo, sempre o estimulando a beber. Quando ele já estava grogue, levei-o para o meu apto. Era tudo planejado. Ele dormiu completamente embriagado em casa. Aproveitei para ver os documentos dele e tomar nota de tudo. De manhã, disse para ele que nunca tinha transado tanto na minha vida. Ele olhou para mim com uma cara de samambaia e me disse que era casado e pedia mil desculpas pelo ocorrido, que não tinha o costume de trair a mulher. Apoiei a atitude dele e mandei-o tomar banho e ir para casa. De vez em quando eu telefonava para ele não se esquecer de mim. Passados quarenta dias, telefonei desesperada e lhe dei a notícia que estava grávida e que ele tinha de assumir a criança, que seria bela e saudável. Avisei-lhe que ia telefonar para todos os amigos dele - eu tirei da memória do celular dele -, e contar sobre a novidade. Ele ficou desesperado também e me pediu para não falar nada pra ninguém e que eu considerasse a hipótese de não ter o filho. Disse-lhe que era melhor ele suportar uma pensão alimentícia de R$36.000,00 (trinta e seis mil reais) por ano, pois queria que meu filho fosse jogador de basquete do Corinthians, mas ele achou melhor não. Então eu concordei em fazer aborto contanto que ele suportasse a módica despesa de R$6.000,00 (seis mi reais), o que representaria uma economia de R$30.000,00 (trinta mil reais) - só para falar de um ano. Ele mandou um depósito na minha conta no outro dia, e eu passei um fax da consulta ginecológica com a Dra. Helenilda Cipó. Tive de usar esse expediente mais três vezes, porque a facu estava muito cara e ainda por cima uma amiga minha começou a me imitar. Graças a Santo Expedito, provedor das causas impossíveis, consegui terminar a psicologia. Junto com duas colegas da facu, montei a clínica. Na verdade, eu tive de aumentar o valor do aluguel, para que na divisão eu pudesse sair fora da minha parte. O meu amigo também me arranjou umas notas dos móveis em valor pouco mais caros. Agora eu estou muito feliz, porque eu vou receber uma herança do meu irmão – não aquele lesado que dormia no beliche debaixo da minha -, é um irmão arranjado, pois um brasileiro, funcionário da Nigerian Petroleum Company, morreu e deixou um depósito bancário de US$5,000.000,00 (cinco milhões de dólares), sem notícia de qualquer parente nessa face da terra. Ai um advogado da Nigéria conseguiu me localizar na internet e me propôs ser a irmã do dito defunto. Então, ficou resolvido que ele ficaria com 20%, o advogado do Brasil ficaria com 10%, e o povo do governo ficaria com 20%. Agora vou procurar uma Consultoria para saber como é que eu vou aplicar esses US$2,000. 000,00 (dois milhões de dólares).
(Volta para o diálogo)
Regina – Ela quer comprar um Hospital ginecológico, abrir uma igreja com venda de ações na bolsa, formar um clube de investimentos associados e montar uma agência de modelos e manequim.
Selton – Perfeito! Acho que ela deveria jogar roleta. Uma vez eu desenvolvi uma análise matemática de situação na qual podia aparecer um conflito de interesses, com a intenção de encontrar as opções ótimas para que, nas circunstâncias determinadas, consiga-se o resultado desejado. Ai o Silvio Santos comprou o sistema e fez o Roletrando.
Regina – De qualquer maneira, o Big Boss sempre empurra título de capitalização. Ninguém pode sair daqui sem achar que comprou a arca da felicidade. Tem que ficar igual a sensação deixada na vagina por pomada a base de corticóide em mulheres da terceira idade.
Selton – Tudo bem, dona Regina! Meu pai já dizia: uma pessoa justa é aquela cujo elemento racional, com ajuda da vontade, controla os desejos. Temos mais alguém para satisfazer os desejos ou não?
Regina – Não, Dr. Selton. Depois dos investidores, o Sr. precisa desenvolver o projeto que o Bradesco encomendou. O Banco quer passar da imagem de carro popular para o 2.0. Ai, é terrível transar num corsinha. Agora transar num Vectra preto é tudo!
Selton – Eu sei. Enfrentar fila no Bradesco é igual fazer cursinho na Força Sindical. Agora pegar uma filinha no Unibanco é se sentir num comercial de tv com a Débora Bloch. Então, tudo bem! Vamos desenvolver isso.
Dona Regina – Qualquer coisa me chame, Dr. Selton!

ATO II

CENA I


(ao telefone com o marido)
Regina – Quem não tem competência não se estabelece, Otávio Augusto! Vendemos toda a herança que seu pai deixou para viver do over night e demos com os burros n´água no Plano Cruzado, o que me causou uma inflamação seríssima no clitóris. Depois, você mandou eu fazer um acordo com o Big Boss para sacar meu fundo, e aí o Color passou a mão nele. Fiquei dois meses a base de compressa de gelo. Só parei porque fiquei assustada por não sentir mais minha cabeludinha.
Pausa – kdmfkoadjfuiuifhasuih
Regina – O Gustavinho precisa fazer esse estágio no Bolshoi. Eu não vou deixar que a vida do nosso filho seja comprar o que não pode, mostrar o que não é seu, pra quem não gosta de você. Agora se você quer vender título da dívida pública prescrita para empresa endividada, não conte comigo. Meu ginecologista me receitou diasepan em comprimidos durante vinte e um dias por sua culpa.
Pausa - dfasiofjiefjsfakfmb
Regina – Não tem problema. Já matriculei nosso filho no curso de Francês dos professores licenciados da USP. Ele vai falar Francês fluentemente em seis meses, ou terá o dinheiro de volta. E o meu ginecologista disse que a saúde começa pela língua, você deve saber o que está comendo. E as mulheres na Rússia falam muito bem Francês e tem poucos problemas ginecológicos.
Pausa – mnfiefqjfopaiovsdbgnopç
Regina – Minha advogada disse que você não quis incluir as despesas de curso extra, porque está pagando um plano de aposentadoria privada. Pois bem, então vamos fechar a pensão em R$1.700,00, por mês, porque o teto da previdência ficou em R$2.400,00. E não contrarie mais a nossa advogada, porque ela vai se submeter a uma cirurgia para retirar do útero um mioma do tamanho de uma laranja, e da barriga cinco litros de gordura que lhe custara sacar toda a correção do fundo.
Pausa – ldkferioutbejtffx,qgfiuh
Regina - Vou ter de desligar, o Dr. Selton chegou. Tchau! Bom dia, Dr. Selton!
Selton – Bom dia, dona Regina!
Regina – Dr. Selton, eu já vi os e-mails, os indicadores econômicos, as posições das aplicações financeiras dos clientes e o preço da passagem área para Moscou.
Selton – Quem vai para Moscou?
Regina – Meu filho. Depois da temporada de três meses com as apresentações de O lago dos cisnes, As sílfides, Giselle e a dança do coco no Ceará, ele vai para Moscou. Ele é a reencarnação de Rudolf Nureiev.
Selton – Bale dá dinheiro, dona Regina?
Regina – Não. No meu caso deu a separação e uma série de problemas vaginais. Talvez quando o Gustavinho voltar e fizer a nova abertura do Fantástico, as portas da fama possam se abrir para ele e render-lhe fortuna. Ai eu não vou me preocupar com os tratamentos ginecológicos caríssimos.
Selton – Ah, isso parece com o sistema de catracas, dona Regina. As estruturas vão se encaixando das pequenas para as grandes, para movimentar um poderoso sistema. Agora, por favor, a senhora mande trazer uma água de coco, um café e um tubo de vaselina.
Regina – Ok! Só um instante! Dr. Selton!
CENA II
(chega Henriquinho Pinto)
Henriquinho Pinto – Bom dia!
Regina – Bom dia! O Sr. só pode ser o Dr. Pinto!
Henriquinho Pinto – Eu gosto de chegar na hora, porque antes ou depois fica sujeito a reações inesperadas. Meu pai sempre diz: filho, bote quente quando está fervendo.
Regina – É o que meu ginecologista também diz quando vou fazer cauterizações. Mas falando em ferver, eu vou avisar ao Dr. Selton que o Sr. chegou. Ah, ele pediu uma água de coco, um café e um tubo de vaselina. O Sr. também aceita?
Henriquinho Pinto – Só café, por favor.
Regina – Ok! Só um instante!
Henriquinho Pinto – Obrigado.
Regina – Dr. Selton, o Sr. Pinto está ai adiantado. O Sr. quer que ele entre agora?
Selton – Melhor coisa, dona Regina. Assim, a gente adianta o expediente. Mande o Sr. Pinto entrar.
Regina – Ok. Num instante! (Para Henriquinho) Dr. Pinto, por favor, o Dr. Selton vai atendê-lo agora.
Henriquinho Pinto – Obrigado.
Selton – Bom dia, Dr. Pinto!
Henriquinho Pinto – Bom dia, Dr. Selton! Por favor, pode me chamar de Henriquinho, porque na verdade eu penso que estão chamando meu pai, que é muito duro no trato com as pessoas.
Selton – Como quiser, Henriquinho. E por favor me chame apenas de Selton, pois relacionamento parece com catraca, tem de se encaixar.
Henriquinho Pinto – e é melhor a gente tirar os entraves para se encaixar, não é?
Selton – Perfeito! Bom, então vamos aos negócios. Você quer introduzir algo consistente no mercado de varejo, para reabilitar o prestigio da indústria do seu falecido sogro.
Henriquinho Pinto – É e preciso mostrar serviço para o meu pai, que pela primeira vez em cinqüenta anos tirou férias.
Selton – Sei. Você quer fazer seu negócio crescer.
Henriquinho Pinto – Isso e eu não quero tentar nas escuras. Preciso ter certeza de como fazer, para não falhar.
Regina – Senhores, cafezinho.
Selton – Obrigado, dona Regina!
Henriquinho Pinto - Obrigado, dona Regina!
Regina – Nada! Precisando é só chamar. (sai)
Selton - Perfeito! Olha só, podemos agir em duas frentes. De um lado, implantamos um programa de transferência de ativos de um lado para o outro, através da concessão de fundos, créditos e suprimentos materiais a juros irrisórios, a retomada de trocas equilibradas e o retorno aos antigos fluxos comerciais entre as fábricas de seu pai e de seu falecido sogro. Ok?
Henriquinho Pinto – Então eu levanto o negócio injetando fluxo de suprimento na parte da minha mulher.
Selton - Perfeito! E do outro lado, temos de expandir o seu negócio na diversificação de investimento não só em fundos, mas, também, em outras oportunidades. Dar passos mais largos, entende?
Henriquinho Pinto – Você acha que eu tenho de abrir espaços para o negócio crescer?
Selton – Perfeito! Eu sugiro uma associação com uma mega investidora, a Dra. Vivi Grimaldi, que vai abrir um Hospital ginecológico, uma igreja com venda de ações na bolsa, formar um clube de investimentos associados e montar uma agência de modelos e manequim.
Henriquinho Pinto – Que interessante! A minha mulher vai gostar muito do hospital. Será que ela não incluiria a especialidade de urologia?
Selton – Parece-me que a Dra. Vivi é muito aberta para negócios. Então, podemos conversar a respeito. Agora, precisamos definir quanto investir, além de vincular uma contrapartida. Eu digo assim, nós podemos colocar cimento no empreendimento da Dra. Vivi.
Henriquinho Pinto - Que interessante! Eu ponho dinheiro no empreendimento da Dra. Vivi, e escôo cimento da fábrica da minha mulher. Então podemos destinar R$2.000.000,00 (dois milhões de reais)
Selton – Perfeito! Vamos fazer o seguinte: R$1.000.000,00 para aplicação no hospital; e R$800.000,00 para aplicação na bolsa com carteira diversificada; e R$200.000,00 de honorários da Invisible Hand. Ok?
Henriquinho Pinto – Concordo! Acho que minha mulher vai sentir o potencial do investimento. Meu pai então não vai acreditar como eu fiz o negócio crescer. Selton, vou mandar hoje mesmo o financeiro disponibilizar os recursos.
Selton – Não esqueça de aumentar o suprimento da fábrica da sua mulher. E a gente vai se falando no decorrer das aplicações, ok?
Henriquinho Pinto – Está certo! Quero botar logo esse negócio para funcionar. Nunca me senti assim tão estimulado.
Selton - Perfeito! Eu sei que seu negócio vai crescer. Quero que você fique satisfeito e feliz.
Henriquinho Pinto – Obrigado! Até lá, então.
Selton – Até mais!
Henriquinho Pinto - Até mais, dona Regina!
Regina - Até mais!

CENA III
(Rizaldo Tubao chega)


Rizaldo Tubao – Bom dia!
Regina - Regina – Bom dia! O Sr. só pode ser o Dr. Tubão!
Rizaldo Tubao – É Tubao. Nome de origem espanhola. Minha mãe era de Cuenca, província perto de Albacete, deu para entender ou não?
Regina – Nossa! Eu sempre quis conhecer Albacete, porque minha mãe nasceu no vale do Tiétar, riquíssimo em carvalhos. Ela veio pro Brasil por recomendação do ginecologista, porque ela era muito nervosa e eu acabei nascendo aqui. Foi um parto muito complicado. Foi cesárea.
Rizaldo Tubao - Cesariana é feita quando o tamanho do canal de parto é muito apertadinho para a passagem do feto, como no caso da minha mãe, deu para entender ou não?
Regina – Não sei, a minha mãe já tinha tido três filhos homens com quatro kilos e seiscentos em média.
Rizaldo Tubao – Outros modo de fazer é no aparecimento, antes e durante o parto, de determinadas complicações, como hemorragias externas, sofrimento no menino, diabetes, feto em posição atravessada ou dificuldade na dilatação do cérvix, deu para entender ou não?
Regina – Não sei, acho que foi sofrimento, porque minha disse que não agüentava mais tanto chute que eu dava. Agora eu preferi parto normal, porque morria de medo.
Rizaldo Tubao - O risco da cesariana é pequenininho, agora maior que o do parto normal, já que tem de entrar na faca. Mas é que a cesariana da mais dinheiro para o hospital, deu para entender ou não?
Regina – Sim, o meu um parto foi complicado e precisou a intervenção de fórceps. Tive um filho que já tem nove anos e é bailarino, a reencarnação de Rudolf Nureiev. Ai me senti a virgem santíssima com tanta dor e sofrimento inigualáveis.
Rizaldo Tubao – As vacas às vezes sofrem mais. Hoje cedo já assisti um parto de uma vaca. Devia ver os seus olhos tristonhos se arregalarem, pois quem sabe captava sua dor e desistiria de ter filhos, deu para entender ou não?
Regina – Não vou mais ter filhos, porque além de estar perdendo o marido, tenho muitos problemas ginecológicos. Bem, doutor, deixa eu avisar ao Dr. Selton que o Sr. já chegou, senão vou acabar fazendo uma consulta particular...
Rizaldo Tubao – Está bem, porque ainda vou passar na chácara da minha mãe para vacinar a cadela da minha prima.
Regina – Ok! Só um instante! (para Selton) Dr. Selton, o Dr. Rizaldo esta ai.
Selton – Não é o Dr. Tubão?
Regina - É Tubao. Nome de origem espanhola. A mãe dele era de Cuenca, província perto de Albacete.
Selton – Um dia pretendo passar as férias em Albacete... Mande o Dr. Tubao entrar.
Regina – Ok! Só um instante!
Selton – Dr. Tubao, como vai Albacete?
Rizaldo Tubao – Repleta de lindos carvalhos, mas na verdade visito mais Cuenca, porque é a cidade natal de minha mãe.
Selton - Que bom! Perfeito! Bom, então vamos aos negócios. Você quer fazer um projeto de transferência de fundos e uma carteira especial, porque vai se livrar das vacas que a sua ex-mulher lhe deixou na separação, confere?
Rizaldo Tubao – Gosto de experimentar essa diversidade de fundos no mercado e já estou cheio de vacas, são três mil cabeças da fazenda de Uberaba. Quero me livrar do meu ex-sogro também, porque a fazenda fornece insumo para as fábricas dele de geléia, couro, sola, tapete, carne seca, pente, sabonete, cola, leite e perucas. Quero ficar só com a clínica veterinária e ginecológica. Eu sou médico, entendeu ou não?
Selton – Claro! Perfeito! Olha só, podemos agir em duas frentes. De um lado, implantamos um programa de transferência de fundos para ações de empreendimentos na área médica e sociedades civis com fins de lucro, que consiste num nicho especulativo novo. Ok?
Rizaldo Tubao – Não querendo me meter e já me metendo. Você poderia estudar a viabilidade de um plano de saúde ou seguro saúde animais, porque na minha clínica só tenho plano de saúde para pessoas, deu para entender ou não?
Selton – Você diz para vaca, cachorro, gato...?
Rizaldo Tubao – Só não quero que inclua galinha, porque foi criada para cuidar de pinto e tem vida curta, entendeu ou não?
Selton – Estou entendendo. Perfeito! Vamos viabilizar. E do outro lado, temos de expandir o seu negócio na diversificação de investimento em outras oportunidades. Penetrar mais a fundo no mercado, entende?
Rizaldo Tubao – Entendido. Você acha que minha penetração pode ser mais forte neste setor?
Rizaldo Tubao - Perfeito! Eu sugiro uma associação com uma mega investidora, a Dra. Vivi Grimaldi, que vai abrir um Hospital ginecológico, uma igreja com venda de ações na bolsa, formar um clube de investimentos associados e montar uma agencia de modelos e manequim.
Rizaldo Tubao – Incrível! Minha mãe sempre disse que eu devia fazer uma pareia de meia com as atividades do ramo. Sim, porque as meninas se consultam na minha clínica, internam suas gatinhas na vet, fazem laqueadura no hospital e vão pedir perdão na igreja. Será que ela não incluiria um hotel para pets?
Selton – Parece-me que a Dra. Vivi é muito aberta para negócios. Então, podemos conversar a respeito. Agora, precisamos definir quanto investir, alem de vincular uma contrapartida. Eu digo assim, nós podemos cobrar um percentual de encaminhamento de pacientes da clínica para os empreendimentos da Dra. Vivi.
Rizaldo Tubao – Entendido. Eu vendo as vacas para o meu sogro, meto dinheiro no negócio da Dra. Vivi, recebo comissões por parto, laqueadura, extração de miomas, laparoscopia, e outras intervenções cirúrgicas, faço o retorno clínico das internadas, exames clínicos, papa nicolau, cauterizações e ta ra ra. Vou a igreja e peço perdão e ta ra ra. Da para investir R$2.000.000,00.
Selton – Perfeito! Vamos fazer o seguinte: R$1.000.000,00 para aplicação no hospital; e R$800.000,00 para aplicação na bolsa com carteira diversificada; e R$200.000,00 de honorários da Invisible Hand. Ok?
Rizaldo Tubao - Entendido! Acho que minha mãe vai ficar muito feliz por eu seguir o palpite dela. Meu sogro então não vai acreditar como eu larguei mão das vacas da filha dele. Selton, vou mandar hoje mesmo a proposta de venda da fazenda, entendeu?
Selton – Não esqueça de por sua mãe no meio da transação para dar sorte. E a gente vai se falando, ok?
Rizaldo Tubao – Entendido! Quero lotar o consultório hoje. Vou meter todo mundo na estória. Entendeu ou não?
Selton - Perfeito! Entendi. Eu sei que você vai detonar. Quero que você fique satisfeito e feliz.
Rizaldo Tubao – Obrigado! Até lá, então.
Selton – Até mais!
Rizaldo Tubao - Até mais, dona Regina!
Regina - Até mais!

CENA IV
(chega Vivi Grimaldi)


Regina – Bom dia! A Sra. Só pode ser a Dra. Vivi Grimaldi.
Vivi Grimaldi – Sou eu mesma. Você lê cartas?
Regina – Não, eu sou secretaria. Eu vi aqui na agenda.
Vivi Grimaldi – Não, menina, é que eu vim de uma consulta no ginecologista e encontrei uma mulher lá que falou para eu ficar antenada, porque tem uma energia muito poderosa oriunda da conjunção de Vênus, Mercúrio e Marte na minha casa 7. Como sou de Áries, Mercúrio vai me trazer dinheiro rápido, Marte vai me dar muito poder e Vênus vai curar minha pretcheca. E não é que eu recebi esse telegrama aqui (entrega o telegrama para Regina), lê pra mim?
Regina - Dear Vivi Grimaldi, You fill the application as exepected, the Standard Trust Bank Limited will get back to you. I have gone today and pay for the two years TAX CLERANCE at the BORAD OF INLAND REVENUE. As demanded by the bank. I paid $34,000.00 for two years Tax Clearance, $17,000.00 is for one year.
Everything is in order this money will be in your nominated account by next week.
Regards. Bar. Iketu. Bem, aqui diz que foram pagas as taxas e que o dinheiro estará na sua conta na próxima semana.
Vivi Grimaldi – Ai, graças a Nossa Senhora Glorinha do Sentimento Oceânico! Menina, meu irmão querido, que sofreu tanto comigo na infância, morreu e me deixou uma fortuna. Se desta vez eu não curar minha bussa em Cleveland, eu vou desistir.
Regina – Dra. Vivi, desculpe a indiscrição, mas do que padece sua xereca?
Vivi Grimaldi – É que eu produzo muitas células foliculares, que pressionam a bexiga e me deixam com incontinência urinaria à noite. Já perdi dois namorados por isso.
Regina – Dra. Vivi, meu caso é o oposto. Foi uma sorte eu ter engravidado. Minha menstruação é um pingo. Em compensação, é igual a perfume francês. Tem um odor concentradíssimo, que impregna em tudo durante sete dias. É a semana que eu faço bacalhau a Gomes de S , peixe a delícia, sardinha na brasa, camarão a alho e olho, lula frita, paella valenciana e tudo que tenha cheiro forte.
Vivi Grimaldi – Minha filha, bibi é igual a melância. Tem muito líquido, caroço, e quando passa do ponto fede. E depois de comida de manhã, você fica o dia inteiro falando com ela.
Regina – É um assunto que não tem fim, Dra. É melhor eu avisar o Dr. Selton que a senhora chegou. Um instante só, ok?
Vivi Grimaldi – Ok, ok!
Regina – Dr. Selton, a Dra. Vivi Grimaldi chegou.
Selton – Faça-a entrar, dona Regina.
Regina - Um instante só!
Selton – Bom dia, Dra. Vivi!
Vivi Grimaldi – Bom dia!
Regina – Dr. Selton eu ainda não trouxe a água de coco e a vaselina. O Sr. quer que eu traga agora?
Selton – Água de coco, dona Regina. Dra. Vivi, a senhora toma alguma coisa?
Vivi Grimaldi – Já tomei muito hoje. Se tiver um biscoitinho ou uma coxinha, eu aceito.
Regina - Um instante só, já providencio.
Selton – Obrigado, dona Regina. Que bom! Perfeito! Bom, então vamos aos negócios. A Dra. vai abrir um Hospital ginecológico, uma igreja com venda de ações na bolsa, formar um clube de investimentos associados e montar uma agencia de modelos e manequim.
Vivi Grimaldi – Ai, eu preciso multiplicar esse dinheiro que eu vou receber de herança do meu querido e falecido irmão. E não há nada mais lucrativo que um hospital ginecológico, porque a maioria das mulheres padece de doenças venéreas, distúrbios hormonais, intercorrencias cirúrgicas e viagens longas e desconfortáveis.
Regina – Com licença! A água de coco e os biscoitinhos.
Selton – Obrigado, dona Regina!
Vivi Grimaldi – Obrigada, querida!
Selton – Então é muita procura?
Vivi Grimaldi – É muita oferta também. Hoje em dia as meninas de 12, 13 e 14 anos já estão se oferecendo todo dia. Ai, meu filho, os problemas ginecológicos começam cedo. E não se trata apenas de gravidez. Se você encontrar uma mulher com cabelo sujo, tipo pinga óleo, desconfie que lá em baixo pinga pus. Começa com uma coceirinha, vira uma feridinha, um sangramento e relações sexuais dolorosas. E ainda tem homem que acha que esta abafando, detonando, quando a mulher faz ai, devagar, ai, cavalão, ui, ai, ai, ai, tigrão!
Selton – Esse hospital vai ser um sucesso! E a igreja?
Vivi Grimaldi – Melhor ainda, porque as mulheres ao invés de comprarem calcinha nova para irem ao ginecologista, poderão comprar ações da Igreja de Nossa Senhora Glorinha do Sentimento Oceânico.
Selton – Eu nunca ouvi falar dessa Santa...
Vivi Grimaldi – (em tom melancólico) Foi uma revelação que eu tive. Na terceira vez que eu abortei, era uma menina, de repente eu comecei a ouvir um coro: Glória, glória, aleluia, bem vinda é Glorinha! Ai eu comecei a sonhar que estava descendo no fundo do mar. Então, eu vi minha filha adulta. Ela me disse: “mamãe, a religião é o ópio do povo. Cada calcinha custa cinco reais. Reúna as mulheres e funde uma igreja, concientizando-as a não comprarem calcinhas novas e por o dinheiro na igreja, para ajudá-las a serem felizes por um sentimento superior ilimitado, sem fronteiras. E lembre-se mamãe: aquele que tem preocupações, tem também aguardente”.
Selton – Isso se trata de uma referência a igreja também ser destinada aos homens?
Vivi Grimaldi – Sim, porque com o aumento dos impostos sobre as bebidas alcoólicas, os homens deverão abster-se de beber para comprar ações da igreja. Agora, sem calcinha nova e sem cachaça! (Em tom calmo e solene) Nossa Senhora Glorinha do Sentimento Oceânico oferece o prazer de encontrar o caminho da felicidade e da proteção contra o sofrimento, porque não somos nada e não sabemos nada. Existe apenas os desígnios inescrutáveis de Deus, que ouve a Nossa Senhora Glorinha do Sentimento Oceânico e nos provê de amor livre e esperança, amém irmão!
Selton – Amém, irmã! Essa Igreja vai ser um sucesso, porque todo mundo vai poder se amar livremente...
Vivi Grimaldi – E ai vai ter mais partos, mais casamentos entre pessoas do mesmo sexo, ou seja, ou vai para o hospital ou vai para a igreja.
Selton – E as modelos e manequins, onde se encaixam nisso?
Vivi Grimaldi – Na verdade, as irmãs farão parte de uma nova geração de mulheres que cuidam do corpo, da alma e do dinheiro dos homens. De manhã, elas são auxiliares de enfermagens, à tarde são ministras do sacramento do prazer ecumênico, e à noite tiram fotos e trocam de roupa.
Selton – Sabia que a Dra. é muito aberta para negócios. Agora, precisamos definir quanto investir, além de vincular uma contrapartida. E eu tenho ótimas perspectivas já: dois grandes investidores que vão investir dois milhões de reais cada um nos seus empreendimentos.
Vivi Grimaldi – Horra! Bom, quero que você remeta quinhentos mil dólares para algum paraíso fiscal, e elabore um plano para comprar o Banco Rural, porque com o dinheiro deles e a venda das ações da igreja, não preciso colocar dinheiro da herança.
Selton – Perfeito! Vamos fazer o seguinte, a Sra. paga R$200.000,00 de honorários da Invisible Hand pela captação dos quatro milhões e a gente discute a compra do Banco Rural, Ok?
Vivi Grimaldi – Ok. Agora, eu acho melhor comprar o Pérola Bygnton, já que o governo está privatizando tudo e barato. E em relação à Igreja, a gente constrói, porque arrecada mais doações. Horra! Eu nem acredito que vou consertar o defeito da goteira da minha chana e ganhar rios de dinheiro, amém irmão!
Selton - Perfeito! Eu vou falar com o Dr. Pinto para fornecer cimento para sua igreja a preços camaradas, afinal ele está investindo muito dinheiro. Em todo caso, a gente vai se falando, porque o Big Boss deve chegar de Miami na semana que vem e podemos ter uma reunião, porque vou cuidar do repatriamento da sua herança e deixar tudo em ordem.
Vivi Grimaldi – Com certeza, querido. Obrigada! Até lá, então.
Selton – Até mais!
Vivi Grimaldi - Até mais, dona Regina!
Regina - Até mais!

ATO III

CENA I


(Big Boss de volta dos EEUU. No telefone).

Big Boss – Não tem herança nenhuma? Como?
Pausa – mfijfuiehuijqecfpisdfvwe-i.
Big Boss – Mas a Dona Regina leu o telegrama do Standard Trust Bank Limited… Golpe, ah hum… Ok, obrigado! Depois tomamos um drink no jóquei, abraços.
Big Boss – Dona Regina, chame, por favor, o Dr. Selton urgente.
Regina - Um instante só, ok?
Big Boss – Ok. (sozinho) Preciso falar com ele como uma virgem espera sua noite inaugural, incrível!
Selton – Dr. Big, o Sr. mandou me chamar?
Big Boss – Meu rapaz, o mercado parece uma puta velha, quando você pensa que já conhece tudo, ele vem e te ensina mais uma forma de aproveitar o momento. Que engraçado! Como estão os investimentos?
Selton – Perfeito! Começamos a construção da Igreja Nossa Senhora Glorinha do Sentimento Oceânico, que aliás bateu o Record de lançamento de novos produtos da bolsa, com três milhões de ações ordinárias; e com o dinheiro da venda da fazenda do Dr. Rizaldo e a transferência do dinheiro do Dr. Henriquinho Pinto, já compramos o Hospital Pérola Bygnton, que está sendo dirigido pela Dra. Vivi Grimaldi.
Big Boss – E a compra do Banco Rural?
Selton – Bom, estou esperando a repatriação da herança da Dra. Vivi, para fechar o consórcio de investidores.
Big Boss – Não tem herança nenhuma, meu rapaz. Nada de dólares, nadinha...
Selton – Valha me Deus! E agora?
Big Boss – E agora vamos comemorar, meu filho! Pense, essa Dra. Vivi é a fortuna em pessoa. Ela conseguiu colocar em movimento no mercado em uma semana quinze milhões de reais sem ter um puto no bolso!
Selton – Não estou entendendo onde o Sr. quer chegar...
Big Boss – Essa mulher faz dinheiro do nada. Descende de Midas ou do Silvio Santos! Agora vamos dizer para ela que a herança não existe e que ela pode continuar na presidência do Conselho administrativo do Hospital e providenciar o registro civil público de Papisa, a fim administrar a igreja.
Selton – E o que faço com a operação do Banco Rural?
Big Boss – Continue informando ao mercado que uma mega investidora transaciona a compra do Banco e, quando fechar quinhentos milhões, a gente fecha o consórcio sem ela.
Selton – Perfeito! Eu estou bege...
Big Boss– E por falar em banco, como vai o projeto do Bradesco?
Selton – Foi graças a Dra. Vivi que eu elaborei esse projeto. Assim, o Dr. Rizaldo manda as pacientes dele para o Hospital e este manda para ele outras pacientes, que voltam para o hospital. O Dr. Pinto vende cimento para a igreja e esta vende ações para a fábrica. Então só faltava o banco para integrar as transações e planificar os créditos. O Bradesco caiu de boca e está ampliando para integração com outras empresas e investidores que se relacionam com esses agentes.
Big Boss – Parece uma coisa de troca-troca!
Selton – O projeto corre solto agora entre grupos.
Big Boss – Precisamos conversar mais com a Dra. Vivi, porque o Itaú encomendou um projeto para manter a posição no ranking FEBRABAN.
Selton – Ela realmente tem boas idéias.
Big Boss – Bingo! Ela só pode ter aprendido com os associacionistas que partem do princípio de que todos os processos psicológicos são reduzidos a cadeias de associações estímulo-resposta, tipo tome a farinha e me devolva o pirão.
Selton – Acho que ela é uma médium, uma porta-voz dos espíritos que se transformam em experts econômicos e levam seus interlocutores a sonhos e visões.
Big Boss – Acho que vou levá-la ao jóquei também. Marque uma reunião com ela, meu rapaz.
Selton – Mais alguma coisa Dr. Big?
Big Boss – Ah, claro! Já estava me esquecendo. A executiva Nacional do Partido dos Empreendedores Liberais - PEL fez aliança com o Partido dos Vanguardista da Terceira Via o PVTV e me convidaram para eu preencher o cargo de Vice-Presidente na chapa eleitoral, mas eu disse que preferia indicar uma pessoa de minha confiança, porque a gente se expõe muito e pode atrapalhar os negócios da Invisible Hand. E afinal, a gente já tem o controle de tudo. Então, indiquei o seu nome.
Selton – Dr. Big! Eu fico lisonjeado com a confiança.
Big Boss – Claro que cargo de Vice pode parecer decorativo. Agora, como a classe empresarial e a mídia já compraram a idéia, porque eu estou dando as cartas, há grande chance de emplacarmos na eleição.
Selton – Eu também acho. O Eduardo Magalhães já ganhou.
Big Boss – Vocês formaram uma dupla invencível. O Nini Aguanazi vai vincular a imagem de vocês a Batman e Robbin. Dois jovens bonitos, sarados, vitaminados, tudo de bom! Sim, porque candidato tem de ser igual a sabonete: bem embalado, liso, escorregadio, cheiroso, e todo mundo acha que vai ficar bem na fita.
Selton – Que show!
Big Boss – Agora não se anime muito, porque, se a gente realmente ganhar, você vai ficar nos bastidores como nosso preposto, ok?
Selton – Ok, mas eu posso contribuir com minhas idéias, não posso?
Big Boss – Claro, meu rapaz. Agora vamos cuidar dos nossos negócios.
Selton – Perfeito! Até mais!
Big Boss - Até mais!

CENA II

(Dona Regina ao telefone com o marido. Dra. Vivi chega trajada de Papisa).

Regina – R$5.000,00! Exato, Otávio Augusto. O Gustavinho tirou primeiro lugar. Que comissão que nada. Eu não vou te dar um centavo. Ainda mais que você foi dizer pro Juiz que eu queria a pensão para pagar tratamento ginecológico. Graças a Deus, o único vínculo que nos une agora é a pensão alimentícia!
Pausa – hfjsdfdufjvpidfuhvbo
Regina – Que direito de patente?! Por acaso o Gustavinho se parece com uma invenção cientifica?
Pausa – sdfjudfhryhuwehgcuiejf
Regina – Acho que você errou se século e de sexo. Você deveria ter nascido uma mãe judia. E tem mais uma coisa, limite-se no horário de visita, porque o Banco Cacique telefonou em casa, para você ir lá pagar o cheque do seu empréstimo no mesmo horário da visita, ou seja, não quero que você ensine nosso filho a passar cheque, compreendeu?
Pausa – E eu quero lá saber se foi o cheque do figurino, porque eu paguei o maquiador, a coreógrafa e o vendedor de maçã do amor, tá?
Pausa – kjsdfiojdfiosdfojs
Regina – (fingindo que lamenta) Adeus, Otávio Augusto! Você foi o melhor dos meus sonhos, o maior dos enganos, a mentira mais certa que eu já vivi. (muda de humor) Não vou ligar mais para você, só se for para cobrar a pensão. Adeus!
(chega Dra. Vivi).
Regina – Bom dia, sua Santidade!
Dra. Vivi – Que Nossa Senhora Glorinha do Sentimento Oceânico esteja contigo!
Regina – Ai, a Senhora está tão linda! Lembrou-me a comissão de frente do Salgueiro no desfile do bumbum pra ticum bum prucurundum...
Dra. Vivi – Não, eu era presidente da ala dos invasores do cabo branco. Só tinha estrangeiros. Vendi tanta fantasia que perdi o controle, mas era tudo em dólar.
Regina – Ah, por falar em dólar, o Dr. Big tem pressa de falar com Vossa Santidade. Posso anunciá-la?
Dra. Vivi – Eu acho até bom, porque essa história me lembrou que eu desfilei com uma calça plástica e fiquei com uma assadura terrível...
Regina – Um instante só, ok?
Dra. Vivi – Ok, ok!
Regina – Dr. Big, a sua Santidade Dra. Vivi está ai.
Big Boss – Mande a santa entrar!
Regina – Por favor, Sereníssima, pode entrar.
Big Boss – Saravá, minha mãe. Sua bênção!
Dra. Vivi – Saravá, meu filho O que esse filho de Ogum quer com Santa Glorinha do Sentimento Oceânico?
Big Boss – Ai, minha Santa, precisamos fazer um canjerê para clarear as desventuras e pedir a Santa Glorinha e a Iansã nos conceda luz, porque as noticías estão igual a economia de mercado onde todas as demais atividades e as transações econômicas dependem da livre iniciativa das pessoas, para alcançar seus objetivos econômicos e sexuais da forma considerada a mais apropriada, sem a intervenção do governo ou do pai de santo. As pessoas decidem livremente questões relativas ao emprego, à utilização de seu capital, de seus recursos e de suas genitálias; por exemplo, como distribuir os lucros entre a poupança e o consumo e como escolher para comprar entre os diferentes bens oferecidos, como um perfume Channel ou do Boticário. Compreende?
Dra. Vivi – E o que é que eu tenho a ver com isso?
Big Boss – É que Vossa Reverendíssima não vai mais receber a herança.
Dra. Vivi – Cacete! Como assim?
Big Boss – Sua Santidade foi vítima de um golpe de uma quadrilha Nigeriana, que na verdade buscava tirar dinheiro da pessoa que tinha perdido o ente querido. Ao receber a procuração e a taxa de U$3,000.00, eles sumiam. E infelizmente seu irmão não deixou nenhum centavo na Nigéria.
Dra. Vivi – Ai, Caraíba! Vai ver ele nem era engenheiro da Shell... Agora eu estou arrombada! Será que eu vou perder meu título de Papisa?
Big Boss – Não. Uma vez rainha santificada, nunca se perde a majestade pontificada! Vamos aproveitar sua assunção e gerar mais prosperidade. Na verdade eu quero propor uma jointventure, porque um cliente quer um projeto para aumentar a captação de depósitos, para se manter no ranking da FEBRABAN. Compreendeu?
Dra. Vivi – Tudo bem, meu filho, mas quanto que eu ganho com isso?
Big Boss – Muito dinheiro! Com os cargos de Papisa, Presidente do Conselho do Perola Bygnton e diretora do Studio Pussy & Cats, Sua Santidade Sereníssima já alcançou a fama e o sucesso. Agora eu lhe ofereço 10% de todo contrato de consultoria que Vossa Eminência participar. Compreendeu?
Dra. Vivi – Isso dá quanto?
Big Boss – Bem, esse que eu falei, vai render-lhe R$30.000,00.
Dra. Vivi – (chorando) Ai, não pode ser 20%? Porque agora que meu irmão não me deixou nada, e eu ter de fazer uma cirurgia em Cleveland, eu preciso arrumar dinheiro para comprar o Banco Rural...
Big Boss – Hum… 15%, combinado?
Dra. Vivi – Combinado! (sorrir) E eu já tenho o projeto para esse banco ai.
Big Boss – E do que se trata?
Dra. Vivi – Vamos transformar pessoas em produtos. E como tal, elas terão um valor econômico passível de serem vendidas no mercado de ações. Assim, o perfil do cliente, a partir da característica pessoal (ambição, potencialidade), dará a projeção de seus rendimentos futuros. O banco, então, financia os projetos de cada pessoa e vende as ações na bolsa. Certo?
Big Boss – Mas os bancos já estão cansados de fazer mais ou menos isso – sem vender ações na bolsa, claro - com médicos, advogados, engenheiros e outras profissões liberais, e o resultado não tem sido extraordinário...
Dra. Vivi – Isso porque eles focalizam na profissão, quando deveriam focalizar na personalidade. Vai me dizer que você não compraria ações do Bill Gates, do Bill Clinton, do Bill Cosby, do Bill Beaumont, do Max Bill e do Chibill?
Big Boss – Genial! Só uma psicóloga papisa poderia captar o óbvio. Vamos fazer o seguinte, Vossa Misericordiosa se reúne com o Dr. Selton e desenvolvem o projeto inteiro, ok?
Dra. Vivi – Ok! Mas o Sr. manda depositar hoje os R$45.000,00 da minha comissão?
Big Boss – Pode deixar que eu mando a dona Regina providenciar.
Dra. Vivi – Então, tudo bem! Que Santa Glorinha do Sentimento Oceânico o proteja.Tchau!
Big Boss – Tchau, Emérita Santíssima!

CENA III
(Chega o Dr. Rizaldo Tubao).


Regina – Bom dia, Dr. Tubao!
Rizaldo Tubao – Bom dia, dona Regina!
Regina – O Sr. tinha agenda para hoje?
Rizaldo Tubao – Não. Vim deixar minha mãe aqui num colega ginecologista, e aproveitei para dar uma passadinha, para dar uma prosa, coisinha rápida.
Regina – Sem problemas. Um instante só, ok? (entra na sala do Big) Dr. Big, o Dr. Rizaldo Tubao quer dar um alozinho pro senhor.
Big Boss – Como vai Dr. Tubao? Gostou dos novos fundos que lhe arranjamos?
Rizaldo Tubao – Nossa, para lá de bom! Estou pensando ate em largar de vez as vacas! Deu para entender ou não?
Big Boss – Claro! E o que o trouxe aqui?
Rizaldo Tubao – A camionete da Vet. Depois subi o elevador...
Big Boss – Então, em que posso ajudá-lo?
Rizaldo Tubao – Nada, nadica de nada. Vim convidar para um churrasco na minha chácara em Boissucanga. Vai ter picanha, lingüiça, cudiguim, chope e dança.
Big Boss – Obrigado! Pode contar que vou levar todo mundo. E os planos?
Rizaldo Tubao – Agora que o hospital e a clínica estão a todo vapor, coloquei uma equipe para assumir a ginecologia. Quero me dedicar ao trato urogenital em homens. Deu para entender ou não?
Big Boss – Bom! Nada como expandir os negócios. Parabéns!
Rizaldo Tubao – E o senhor precisa fazer o exame de próstata. Previna a Tricomoníase.
Big Boss – Tricu o que?
Rizaldo Tubao - Tricomoníase, infecção do aparelho urogenital por protozoários do gênero Trichomonas.
Big Boss – Monas, ah!
Rizaldo Tubao – A conversa esta boa, mas preciso pegar a minha mãe. Vejo vocês no churrasco.
Big Boss – Claro, doutor!
Rizaldo Tubao – Até mais!
Big Boss – Até mais!

CENA IV

(chega Henriquinho Pinto)


Regina – Como vai Dr. Pinto?
Henriquinho Pinto – Nunca estive tão pra cima, dona Regina!
Regina – Que ótimo, Dr. Pinto! O Dr. Big espera pelo senhor. Um instante só, ok?
Henriquinho Pinto – Ok!
Regina – Dr. Big, o Dr. Pinto pode entrar?
Big Boss – E não para isso que eu estou aqui? Libera!
Regina – Pode entrar, o Dr. Big vai atendê-lo.
Big Boss – Dr. Pinto, como tem passado?
Henriquinho Pinto – Apesar da quentura, tenho ralado muito. Estou me sentindo outro homem, sabia?
Big Boss – E a sua mulher vai bem?
Henriquinho Pinto – Se abriu para a vida, depois que eu levantei o negócio da fábrica de cimento que o pai dela deixou.
Big Boss - Mulher parece com mercado negro: surge em tempos de crise ou quando o governo controla a vida da gente; nessas circunstâncias, alguns homens estarão dispostos a pagar preços elevados para ir pra cama com alguma gostosa ou obter bens escassos, e outras pessoas estarão dispostas a correrem todo tipo de riscos, como ter amantes, para se dar bem, ou como o comércio de chifres na África.
Henriquinho Pinto – Ela agora quer me dar uma força nos negócios. Não pára de me incentivar toda hora. Estamos tirando o atraso.
Big Boss – Mas o senhor marcou nossa reunião porque quer agregar outro ramo no negócio da sua mulher, não foi?
Henriquinho Pinto – Ela quer cultivar o pau-ferro, que é uma madeira duríssima. Eu achei a idéia ótima, porque podemos acoplar no cimento.
Big Boss – O pau-ferro tem muitas aplicações, mas eu vou solicitar ao Dr. Selton um estudo mais acurado, porque se for pela dureza, ou pela capacidade de resistir à deformação ou abrasão de sua superfície e de ter a capacidade da superfície lisa de resistir a arranhões, a melhor coisa aponta para o ferro.
Henriquinho Pinto – Exatamente, porque pra mim é tudo novidade.
Big Boss – Ótimo! Não se preocupe, porque nos estamos aqui para resolver qualquer situação.
Henriquinho Pinto – Obrigado, Dr. Big. Não sei como agradecer essa mudança tão positiva em minha vida. Agora posso encarar meu pai, dar uma vida plena a minha mulher e usar calça jeans apertada.
Big Boss – Você merece, meu filho!
Henriquinho Pinto – O senhor tambem. Ate mais!
Big Boss – Ate mais!
Henriquinho Pinto – Ate mais, dona Regina!
Regina – Ate mais!

CENA IV

(UM ANO DEPOIS)

Regina – O que? Oh, meu Deus, o Presidente morreu? De que? Nunca ouvi falar! O Vice? Claro! O Dr. Selton? Ok, eu pedirei para ele entrar em contato. Pode deixar. Com certeza. Ate logo! (desliga o telefone e vai falar com o Big Boss) Dr. Big, o Sr. não sabe o que aconteceu?
Big Boss – Dona Regina, o que foi?
Regina – O Ministro da Casa Civil telefonou do Hospital de Base de Brasília e informou que o Presidente Eduardo Magalhães morreu.
Big Boss – Não acredito! De que?
Regina – Diverticulite aguda.
Big Boss – Muita gente tem morrido disso ultimamente. Perde apenas para acidente de navio.
Regina – O Senhor não compreendeu? O Vice-Presidente é o Dr. Selton. O Ministro quer que ele retorne imediatamente para Brasília para anunciar oficialmente o falecimento.
Big Boss – Pelas barbas de Netuno, dona Regina! Esse menino nasceu com a bunda virada para a lua. E onde ele se meteu a essa hora?
Regina – Ele me telefonou ontem à noite avisando que tinha chegado de Brasília e passaria hoje por aqui. Deve estar chegando logo.
Big Boss – Então pés para diante, dona Regina. Vamos ter de fazer uma reunião ministerial urgente.
(Selton chega)
Selton Boa tarde! Pensei que vocês tinham saído.
Regina – Excelência, boa tarde!
Big Boss – Caro, Presidente! Quer tomar alguma coisa? Já comeu?
Selton – Que brincadeira é essa? Vocês beberam chá de lírio?
Big Boss – O Dr. Eduardo Magalhães morreu de diverticulite aguda. Vossa Excelência na qualidade de Vice-Presidente tomará posse em solenidade no Congresso Nacional.
Selton – Que Deus o tenha em bom lugar. Eu admirava muito o Dr. Magalhães.
Big Boss – Todos gostávamos dele. Agora temos de continuar seu trabalho. Então, arrume-se que vamos a Brasília com nossa comitiva.
Selton – Que comitiva?
Big Boss – Ora, já temos de pensar nos Ministros que comporão nosso governo, Excelência!
Selton – Ma assim tão rápido?
Big Boss – Meu filho, política consiste no encontro do inadequado dentro do apropriado. Você tem de usar seus conhecimentos e amizades para fazer as coisas.
Selton – Perfeito! Tenho cinco nomes de minha inteira confiança: para o Ministério da Saúde, Dr. Rizaldo Tubao; para o Ministério da Indústria e Comércio, Dr. Henriquinho Pinto; para o Ministério da Economia, Dra. Vivi Grimaldi, para o Ministério da Reforma Agrária, dona Regina.
Regina – (batendo palmas) muito bem, muito bem, Presidente!
Selton – E para Ministro da Casa Civil, Dr. Big Boss.
Regina – (batendo palmas) muito bem, muito bem, Presidente!
Big Boss – Dona Regina, providencie as passagens da comitiva.
Selton – Não precisa, dona Regina, eu vim com o jatinho da Presidência.
Big Boss – Este pais vai ter cara nova de hoje em diante. Se cuida Washington!


CENA V

(entram todos no palco para cantar a marchinha)

Dinheiro vem, dinheiro vai
Na saúde se corre atrás
Seja rico ou seja pobre
Na inteligência o homem faz

Pois eu quero é ser feliz
Eu vou transar... eu vou beijar
Nessa vida só vale amar
Afrodite foi quem me quis

O Presidente, o meu irmão
Tem competência de coração
Acabou com a economia
Com coragem e valentia

Pois só fale de prazer
Porque chegou a felicidade
Prometeu esta na cidade
Para o mundo renascer

Dinheiro vem, dinheiro vai
Na saúde se corre atrás
Seja rico ou seja pobre
Na inteligência o homem faz



FIM

Hermano Leitão e Thiago Gomes

Leia outras matérias desta seção
 » Mãe de Santo prevê morte
 » Petrobras, a perda trilionária
 » Professor complacente, aluno incompetente
 » Agosto de quem? Sai fora, Dilma!
 » Cinquenta anos em cinco horas
 » Shakespearando
 » Holly Wood Actors
 » Shakespearing
 » Neny Hotel Inn
 » Tratado sobre a burrice ao alcance de todos
 » O$ TRAN$KETEIRO$
 » LULA da SILVA: pragmático ou desnudo?
 » Jean que Ri & Jean que Chora
 » Cavalheiros de Shakespeare
 » Almas suspeitosas
 » Almas Perfumadas

Voltar