14/12/2016
Não perguntem o que a América fará por vocês...

Esta frase tornou-se famosa desde que o então presidente dos Estados Unidos, John Fitzgerald Kennedy (1917-1963), a pronunciou em seu discurso de posse, proferido a 20 de janeiro de 1961. O discurso passou a ser muito citado em virtude desta e de outras frases, igualmente memoráveis, pinçadas pelos jornalistas na gigantesca cobertura da mais concorrida posse de um presidente americano. O jovem presidente, então com 45 anos, disse no mesmo discurso: "não perguntem o que seu país pode fazer por vocês; perguntem o que vocês podem fazer por seu país". Orador fascinante, de posições firmes em sua política interna e externa, Kennedy morreu assassinado em circunstâncias até hoje misteriosas.

O título acima tem muito a ver com o nosso “Gigante Adormecido”. Nossa Pátria pertence à elite, só os ricos e o governo que tem o poder.

Algumas pessoas tem um grande poder econômico possuem carros e casas luxuosos, frequentam os estabelecimentos mais caros, recebem milhares, milhões e até bilhões de reais em curto espaço de tempo, enquanto a maior parte da população não tem renda suficiente para ter acesso aos recursos básicos que garantem uma vida digna.

Os ricos são, muitas vezes, símbolos de vaidade e insensibilidade ocupando cargos governamentais lhe proporcionando proteger-se de uma fiscalização rigorosa (amigos do poder), sua advocacia tributária é eficientíssima . Estes, blindando-se,  preocupam-se simplesmente com eles mesmos, com um crescimento econômico cada vez maior para gastar com bens supérfluos enquanto muitos estão passando fome nas ruas.

Podemos nos questionar por que um país tão rico e tão pobre? Penso que o Brasil não é pobre é desigual. A renda fica nas mãos de poucos. Poucos com muito dinheiro e muitos com tão pouco.

A partir do momento que tivéssemos a coragem de estadistas em algumas reformas tão necessárias como a política (principalmente esta)- onde a desfaçatez tem ocasionado inúmeros desvios de conduta. Sabemos que um povo inculto se deixa levar por uma falação demagógica, desperdiça seus recursos e empobrece.

Reforma tributária - esta em que os tributos estão inseridos em salários e consumo em preterição ao patrimônio, e com a obrigação acessória de enorme complexibilidade.

Uma rigorosa educação para as crianças com estudos sob  professores qualificados e valorizados em condições ideais de trabalho, pois ensinar não é uma ciência comum. Programa de desenvolvimento profissional para adulto, investimento em saúde e outros de lídimo direito de contribuintes.

Em assim melhorando as condições dos menos favorecidos, equacionando a distribuição de renda, certamente haveria redução aos elencados no Código Penal. Não seria uma classe média temente considerando-se sempre a possibilidade de roubo, de homicídio ao sair de sua residência, cuja casa encontra-se cheia de grades em suas janelas.

ANÍZIO MENUCHI
 



Leia outras matérias desta seção
 » URMSP – Um passado de gloria
 » Um farmacêutico devotado
 » Weiszflog a dívida irresgatável
 » Bonsucesso do meu nascedouro
 » A represa de minha juventude
 » Linha Férrea Bom Sucesso
 » Menuchi: imigrantes Italianos
 » Candidatos à Diretoria da URMSP
 » Um caieirense antigo
 » Meu Pai, minha referência para vida
 » Brancos e Negros
 » Conjunto Acapulco você já dançou com êles ?
 » Nos tempos do URMSP (Clube União)
 » A casa no Bonsucesso
 » Embrionária competição à Miss São Paulo
 » Momentos marcantes de nossa juventude
 » Momento de Cátedra no Walter Weiszflog
 » Veneração ao Bom Jesus de Pirapora
 » Não perguntem o que a América fará por vocês...
 » Ida a Aparecida sobre um caminhão

Voltar