22/03/2016
Devaneios de um cérebro ?

Um vozeiro estridente decidiu lembrar a inconstância dos sentimentos e atitudes da mente humana. Mente? Sentimentos? Sim! Só uma ou várias mentes ardilosas e maquiavélicas lamberiam a alegria da exuberância de um (ou vários) corações e tragariam com tanta voracidade a energia esfuziante de momentos plenos de pequenas vitórias para arremessar toda a plenitude ao universo de escárnio das conjecturas mundanas.

Ah! Esta racionalidade onisciente se deleita em pregar com tanta imbecilidade as razões nefastas do emaranhar-se em pontos plausíveis de vida socialmente bem programada.
Traiçoeiros pensamentos proibitivos! Já é sabido que ainda que esta piririca mental tente arruinar a irisdecente invasão de cores nos peitos abertos, não há enroscos no bipartido trajeto de neurônios catalizadores das vozes pirografadas do sistema de idéias catalogadas por ditadores ¨modus vivendi¨.
Um sonoro não a displasia entre peito limpo a receber a luz do contemplar ¨o ser¨ contra o ¨ter que ser¨!
Insulte este lap top de aplicativos preparados! Pegue sua antiga lapiseira e escrivinhe suas receitas de bem viver! Construa e deixe de ser mariola do querer social!
A faísca que desprende da matéria em combustão só terá calor suficiente quando a onipotência das caixas cranianas forem escorraçadas sem dó nem piedade!
Não ao sistema bipartido de tonterias!
Enrusbescam sua caras gélidas, não seremos o laque da sociedade robótica!
Pegue sua marimba e engrandeça este seu jeito hippie de ser!
O que está por advir é novato nesta tribo de professores e alunos tradicionalistas mas seguramente a desordem esquerdista ou direísta renderam vassalagem a constatação de que menos massas ¨supostamente cinzentas¨ e mais conceitos humanitários do ser são a única solução para um mundo melhor.

Daniele C. Rotundo



Leia outras matérias desta seção
 » Tudo parecia caminhar para o fim?
 » Eis a minha pergunta: “ faço o que agora”?
 » Estado neardenthal?
 » No mundo dos "Es", pensando como pensar
 » Pensando como pensar
 » 2020 - Cicatrizes na alma
 » João, Pedro e Rita - parte II
 » O mês do cachorro louco
 » O peso das coisas
 » João, Pedro e Rita
 » E se tudo isso não passar
 » Diário caótico sobre o coronavírus
 » Oração de aniversário
 » Encontros & Desencontros II
 » Encontros & Desencontros e o tempo
 » O tempo e a mulher do espelho
 » A mulher do Espelho
 » Sou mas quem não é (pirada)
 » Biblioteca
 » Carta para os olhos vazarem
 » Férias no paraíso, pero no mucho.
 » A dificuldade de recomeçar
 » Texto exclusivamente feminino
 » Meu Amigo!
 » O incêndio no Museu Nacional
 » Diário de uma jovem Mãe
 » Depressão: O beijo da morte
 » Depressão: os ruídos
 » A bolsa misteriosa de Anabella
 » Amizade
 » Em Terra de cego quem tem olho é rei?
 » Inspiração
 » Se disser que esperará, espere!
 » Eu acredito na humanidade!
 » A bituca de cigarro
 » Os filhos voam!
 » Ser limpante ou o trabalho caseiro
 » Carícia da vida
 » A verdade
 » As palavras matam ou morrem ?
 » Matemática simples
 » Família um conceito complexo
 » Altruísta egoísta
 » A pequena bolsa de Anabella
 » À deriva (?)
 » Adeus ano velho
 » Quando o bem não faz bem!
 » Forever
 » Quero Poetar!
 » “O Abutre”!
 » Me permito amar?
 » Quebrar-se
 » A felicidade
 » Impiedoso tempo
 » Quem sou eu ?
 » Esquecer
 » Esquecer @? - Olvidar
 » Fragmentos II
 » Fragmentos
 » Despertemos!
 » Transe no deserto
 » Destino ridículo !
 » O cortiço da vida
 » Círculo de desafetos
 » Sou um vulcão
 » Conversa com a àrvore
 » Encerrar ou cerrar ciclos?
 » A “basura” no México
 » Doença de amor
 » Poesia
 » As regras da vida
 » Os grandes homens....
 » Prelúdio à loucura
 » Razões para amar? Razões para o amor?
 » O mundo perdido dos sonhos!
 » Devaneios de um cérebro ?

Voltar