Deseja enviar uma mensagem? Clique aqui!

FALA CIDADÃO. Aqui você pode fazer suas denuncias, reclamações, sugestões e elogios.

Caso a sua reclamação não seja atendida, retorne o e-mail quantas vezes for necessário, reclamação justa e não atendida mostra a falta de respeito e o descaso que a autoridade reclamada tem com o cidadão, na próxima eleição lembre-se disso antes de votar.

Você está navegando pela página 179.

Mensagem enviada dia 01/01/2008
Nome:  Alcides
Assunto:  Aumentos para vereadores
E-mail:  [email protected]
A6 NACIONAL SEGUNDA-FEIRA, 31 DE DEZEMBRO DE 2007 O ESTADO DE S.PAULO Câmaras aprovam aumentos de até 179% no interior de São Paulo Vereadores antecipam reajuste que vai valer em 2009 para evitar o desgaste de votar medida em ano eleitoral. Alguém pode nos informar como agiu a Câmara de Caieiras?

Mensagem enviada dia 30/12/2007
Nome:  Alcides
Assunto:  Você sabia?
E-mail:  [email protected]
Você sabia disso? Não se considere um desinformado. Também recebi pela Internet. Segundo me disseram três vereadores consultados também afirmaram que não sabiam de nada! Um desses "desinformados" poderá vir a ser o prefeito que deverá administrar essa futura "explosão". Será que isso vai constar do "Plano de Governo" dos candidatos? O que você acha?Você conhece algum outro caso parecido? DESENVOLVIMENTO IMOBILIÁRIO ANUNCIA DESENVOLVIMENTO DE "CIDADE" DE 80 MIL HABITANTES NA GRANDE SP Empreendimento segue conceito mexicano de moradia popular, com expansão urbana planejada e infra-estrutura de transporte qualificada. A 19 quilômetros da capital pelas rodovias Anhangüera e Bandeirantes, terá valor de vendas de R$ 2,5 bilhões São Paulo, 24 de dezembro de 2007 - A Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário anunciou hoje a aquisição de uma grande área da Companhia Melhoramentos na região de Caieiras (19 quilômetros da capital), na Grande São Paulo, para o desenvolvimento de um novo bairro que ocupará uma área de 5,2 milhões de m² (metade da cidade de São Caetano) e abrigará, num período de 5 a 10 anos, cerca de 80 mil moradores. As unidades desenvolvidas serão direcionadas ao segmento econômico, com preço entre R$ 70 mil e R$ 200 mil Numa região abastecida por ampla infra-estrutura de transporte, praticamente em frente à estação de trem da CPTM, e ligações com o Rodoanel Mário Covas e as rodovias Anhangüera e Bandeirantes, a Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário vai desenvolver um projeto sustentável que prevê 20 mil unidades habitacionais com edifícios entre quatro e seis pavimentos (entre 60 m² e 120 m²), e de apoio comercial, além de horizontais, com lotes. Tudo em meio a praças e parque públicos com arrojada concepção paisagística. Com um Valor Geral de Vendas (VGV) de R$ 2,5 bilhões, podendo alcançar R$ 3 bilhões, o projeto contará com 1,6 milhão m² de área construída. O projeto será desenvolvido em fases, a partir de 2008 e os primeiros lançamentos estão previstos para 2010. A previsão é que as dez áreas de desenvolvimentos levarão cerca de dez anos para serem concluídas. "Mais uma vez a Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário mostra seu pioneirismo e inovação ao projetar e construir um empreendimento tão grandioso e sustentável em área de localização privilegiada e completa infra-estrutura de transporte", explica Roberto Perroni, diretor superintendente da Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário. Com essa aquisição, a Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário passa a contar com umdos maiores e mais diversificados bancos de terrenos do setor imobiliário brasileiro, avaliado em mais de R$ 9,4 bilhões, dos quais cerca de 86% adquiridos por permuta, em especial a do tipo financeiro, em que o dono do terreno é pago por um percentual pré-definido do fluxo de recebimentos gerado pelo desenvolvimento realizado. "Dessa maneira, a CCDI consegue otimizar a utilização de capital, aumentando o retorno por projeto e gerando valor para seus acionistas", explica Paulo Mazzali, diretor financeiro e de RI da empresa. CIDADE DO FUTURO A área de 5,2 milhões de metros quadrados está localizada no município de Caieiras, na Grande São Paulo. Como comparação, a área é maior em extensão do que todo o bairro da Mooca, localizado na Zona Leste de São Paulo. Representa, ainda, quase metade da área ocupada por São Caetano do Sul, cidade do ABC Paulista. O terreno está localizado em uma região de influência de cidades vizinhas à São Paulo, como Guarulhos, Osasco e Jundiaí. O baixo adensamento demográfico de Caieiras, que segundo o IBGE tem aproximadamente 800 habitantes por quilômetro quadrado, faz com que a região seja ideal para o desenvolvimento de uma expansão urbana planejada. Na região do ABC, Taboão da Serra e Guarulhos, por exemplo, a proporção é de quase 4.000 hab/km² e no centro de São Paulo chega a 14.000 hab/km². O desenvolvimento da região será buscado de maneira ordenada e sustentável, por meio de intervenções imobiliárias planejadas e modernas. O modelo de desenvolvimento aplicado será similar ao aplicado no México, com as adaptações necessárias à realidade da região. O projeto será lançado em fases, a partir de 2010. Estão previstas dez áreas de desenvolvimento, que podem ser desenvolvidas isoladamente ou de maneira concomitante (com diversificação de tipo de produto ofertado em um dado momento). Por ser uma área de vocação eminentemente residencial, e com perfil de renda ligeiramente inferior à média verificada na Região Metropolitana de São Paulo, o projeto terá cerca de 20 mil unidades habitacionais e de apoio comercial, em 1,6 milhão de metros quadrados de área construída. As unidades serão verticais, com edifícios entre quatro e seis pavimentos, e horizontais, com lotes para desenvolvimento de habitações de perfil econômico. De acordo com o projeto inicial, as unidades habitacionais terão entre 60 m² cada e 120 m². As unidades desenvolvidas estarão direcionadas ao segmento econômico (unidades entre R$ 70 mil e R$ 200 mil cada). Haverá áreas destinadas à criação de praças e parques públicos, e toda a infra-estrutura necessária ao projeto será desenvolvida e/ou aprimorada. Estima-se que a população residente no projeto, ao final da implantação da sua última fase, atinja 80.000 pessoas, basicamente dobrando a população atual de Caieiras. Com isso, estarão criadas condições para a instalação, na região, de unidades comerciais, industriais e de apoio (educacionais, hospitalares e de serviços), alterando, de maneira sustentável, a vocação da região. INFRA-ESTRUTURA EXISTENTE O terreno está localizado a 19 quilômetros do centro de São Paulo (Praça da Sé). A região encontra-se mais próxima do centro de São Paulo do que bairros da própria capital, como Interlagos (Zona Sul) e Mooca (Zona Leste), e, também, do que a região em que foram desenvolvidos os condomínios Alphaville, em Barueri. A área adquirida é margeada pela Rodovia Tancredo Neves, principal ligação entre Caieiras e São Paulo. A Rodovia liga-se ao Rodoanel na altura da Rodovia dos Bandeirantes - considerada como a melhor rodovia do país. Na região, o transporte público está amplamente disponível. A região é servida por linha de trem operada pela Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, com estação em Caieiras (linha "A"). A linha conecta-se ao metrô na estação Barra Funda (linha vermelha, zona oeste da capital). Da Estação da Luz, no centro de São Paulo, à estação de Caieiras, o tempo de viagem ferroviária é aproximadamente 30 minutos. Mais de 300 mil pessoas utilizam-se desta linha diariamente. Atualmente, a linha "A" da CPTM está recebendo investimentos de R$ 1,3 bilhão na modernização de estações e trens e aquisição de novas composições. O terreno é, atualmente, ocupado pela Companhia Melhoramentos, como parte da produção de eucalipto utilizada no processamento de celulose. A área de plantio limitou o crescimento de Caieiras, criando uma zona de baixo adensamento populacional e geração de renda. A região já conta com infra-estrutura de energia elétrica, distribuição e tratamento de água e de serviços públicos. MAXPRESS Net "Mais uma vez a Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário mostra seu ... de metros quadrados está localizada no município de Caieiras, na Grande São Paulo. ... www.maxpressnet.com.br/noticia.asp?TIPO=PA&SQINF=299921 - 39k -

Mensagem enviada dia 23/12/2007
Nome:  Eliza Pedrozo
Assunto:  Dúvidas e reclamação
E-mail:  [email protected]
Moro na vila Miraval especificamente na rua Geny Goes de Moraes a 27 anos,um lugar muito bom de se morar mais que já a algum tempo eu e minha família estamos enfrentando alguns problemas na via pública excesso de barulho de automóveis e caminhões com grande volume de carga e problemas com enxurrada em dia de chuva.Devido ao recapiamento do asfalto o mesmo ficou na altura da guia e por esse motivo quando chove não podemos nem sair nem entrar em casa devido ao grande volume de água que desce pela minha calçada.Há tempos atrás tivemos que passar pelo constrangimento de uma notificação por causa de um buraco que apareceu na mesma,sendo que o problema era por causa do excesso de água,após resolvido o problema novamente a minha calçada esta cedendo e até agora nenhuma providencia foi tomada referente ao grande volume de água que passa por ela,já mencionei que seria necessário uma boca de lobo próximo a antiga creche prédio que hoje esta cedido pela prefeitura para escola Capitão,talvez esta solução solucionasse um pouco o desconforto de minha família e de outros moradores vizinhos.Mais uma vez peço solução para este problema que passa também pela calçada da residencia do vereador de nossa cidade Sr. Gersinho Romero.Referente ao excesso de barulho de automóveis e caminhões,talvez os motoristas devessem ter outras alternativas além da Geny Goes para chegarem em suas casas,mais lombadas pois na altura do numero 109 para baixo não existem lombadas ou até mesmo controle de velocidade por radares pois a velocidade dos carros são altissimas colocando em risco a vida de moradores que quase nem ficam em suas calçadas do medo de serem atropelados,outro problema referente aos carros são as multas por estacionar nas calçadas,mas como deixar nossos veiculos na rua se a mesma são duas mãos e estreita e ninguém respeita nada?Acredito que os responsáveis por estes setores deveriam dar uma passeada por nossa rua e verificar estas informações acredito serem problemas de fácil solução basta apenas vontade de ajudar várias famílias cidadãs caieirenses e que votam nas eleições em pessoas que julgam serem capazes de solucionar no minimo pequenos problemas como estes.Desde de já agradeço e aguardo solução antes da calçada ceder e uma nova notificação me for enviada ou até mesmo de outro problema maior acontecer.

Mensagem enviada dia 11/12/2007
Nome:  daisy
Assunto:  quem vai nos responder acerca deste desorganizado concurso de agente de educaçao
E-mail:  [email protected]
como equando vamos ficar sabendo da classificaçao do concurso de caieiras para agente de educaçao

Mensagem enviada dia 05/12/2007
Nome:  ma eu
Assunto:  reclamação do hospitalda santa casa de francisco morato
E-mail:  prefiro não endentificar
bom para comessar moro em francisco morato nao temos muito recusos a cidade estar uma vergonha todas unidades de saude nao atende nos hospital nao atende so atende 40 pessoas por dia minha filha tava doente levei no hospital nao atendel fui para casa indiguinada por uma cidade tao grande tao largada para tira dinheiro dos pobres.até na segurança não temos tanta segurança pois os policiais em vez de ficar atraz de bandidos fica fazendo blitis e prendendo os carro ,e só prende carro velho de trabalho ja não temos dinheiro para esta comprando carro e quando prende temos que pagar guincho e patio até zona azul colocarão não podemos parar nem numa farmacia que samos mutados os minutos é real por favor estou pedindo encarecidamente que fassa alguma coisa pela gente se for difissio libere pelomenos a santa casa para gente tenho mais reclamaçâo mais não da tempo gostaria de pedir que conserte os esgoto das avenidas principais quando chove alaga tudo enche de lixoesta cidade esta uma calamidade esta um lixo prefeito entra e sai e não faz nada pela população agora colocou asfalto em alguymas ruas mais é só disfarse pois esta chegando a eleição espero que eles le este recadado que deixei.

Mensagem enviada dia 29/11/2007
Nome:  Vereador PAULÃO DO SÍTIO
Assunto:  Escola Técnica PAULA SOUZA
E-mail:  [email protected]
Venho informar a todos que através de minha solicitação e com o apoio do Prefeito NÉVIO, consiguimos trazer para caieiras (R.Cardeal Portal) o INSTITUTO PAULA SOUZA, é uma escola de ensino gratuita.

Mensagem enviada dia 29/11/2007
Nome:  Vereador Paulão do Sítio
Assunto:  Barulho excessivo
E-mail:  [email protected]
Favor entrar em contato com o chefe dos fiscais BENEVIDES pelo telefone 4442 7708, caso não resolva atendo na cãmara todas ás quartas feiras ou pelo telefone 4442 8378. Um abraço. Vereador Paulão do Sítio

Mensagem enviada dia 27/11/2007
Nome:  fatima
Assunto:  barulhos excessivo
E-mail:  [email protected]
Preciso de orientação,pois moro num bairro onde tem duas serralherias,o barulho é imsuportavel eu quero que me oreientem a quem devo recorer.Sei que precisam trabalhar! Não quero prejudicar ninguém,mas eu acho que precisam colocar um abafador de barulho ,para não incomodar os moradores OK!!!

Mensagem enviada dia 21/11/2007
Nome:  Arnaldo
Assunto:  Cooperativa
também sou ex associado da cooperativa e não sabia da tal cpi,onde está sendo feita? e porque? deve ser obra de algum político imbecil, frequentei as assembléias e foi tudo feito dentro das leis, se estão querendo achar pelo em ovo, é melhor começarem a levantar a vida pregressa de quem pediu a cpi, provavelmente vai ter que dar muitas explicações, enriquecimento ilicito é batata.

Mensagem enviada dia 19/11/2007
Nome:  Alcides de Oliveira
Assunto:  CPI
E-mail:  [email protected]
Um antigo associado que se interessou pelos destinos da Cooperativa de Consumo. Sou um dos antigos associados da extinta Cooperativa de Consumo de Caieiras. Atendendo ao chamado da última diretoria feito por carro de som, rádio, jornais da região e faixas, compareci à sede social munido da minha antiga carteira.Informei todos os meus dados pessoais, assinei o livro de matrícula, recebi uma nova carteira e passei a freqüentar as Assembléias. É ai que acredito que alguns, por desconhecer a lei e o estatuto (que foi esclarecido a todos os participantes), deixaram de se cadastrar temendo ter que ajudar pagar as dívidas! Omitiram-se conscientemente. Não participaram das assembléias . Não deram ouvidos aos insistentes chamados. Não leram jornais regionais,Não ouviram as antigas Rádios Comunitária Não conversaram com os amigos. A prova de tudo isso é que mais de mil pessoas de toda a região atenderam aos chamados ( incluindo alguns retardatários ) e podem testemunhas tudo. Nas assembléias a transparência era total. Concorridíssimas, lotando o salão do Sindicato. Nelas recebemos todos os esclarecimentos sobre a situação em que os trabalhos estavam sendo executados .A palavra era livre para qualquer consulta e opiniões. Acredito que foram mais de dez assembléias num período de três anos. Quem teve o interesse em acompanhar o trabalho dessa diretoria ficou sabendo de que foram encontrados Processos em andamento de dívidas junto ao município, estado e união. Ficou sabendo também a situação da Cooperativa era precária : conta corrente encerrada pelo Banco ,um prédio antigo, necessitando de uma reforma, contrato de aluguel, (a única renda disponível), por vencer, um único terreno na área comercial do bairro Nova Caieiras. Havia necessidade de a assembléia soberana tomar decisões sobre o futuro do que restou da Cooperativa. Várias assembléias se seguiram, vários problemas enfrentamos, decisões foram tomadas e por fim , em assembléia, fomos informados de que todas as dívidas haviam sido pagas. Foram exibidas Certidões Negativas de Débito na área municipal, estadual e federal bem como dos Cartórios Todas as propostas apresentadas para o futuro da Cooperativa foram estudadas. A Assembléia decidiu pela liquidação e autorizou a venda dos bens: prédio comercial e do único terreno. Foram eleitos: três Liquidantes e um Conselho Fiscal .Tudo público, transparente com ata arquivada na Junta Comercial. Em uma próxima assembléia foi informado que , como determina a lei foi publicado em jornais locais e em outro de grande circulação a decisão da liquidação. A ata foi arquivada na Junta Comercial como as demais. Foi também publicada a licitação para venda dos bens. O prédio e o terreno foram vendidos pela melhor oferta , O valor das vendas foi informado e os comprovantes de escritura foram exibidos. Restava agora , pagos os impostos e encargos a divisão do dinheiro apurado entre os cadastrados. Descontadas as despesas finais, cada cadastrado recebeu a sua parte, assinou recibo e uma assembléia no final prestou contas , exibiu os livros da Contabilidade e o Balanço .Tudo aprovado foi registrado em ata. Novamente, conforme determina a lei , a liquidação foi amplamente divulgada no Diário Oficial do Estado, num jornal de grande circulação e em alguns jornais locais e a ata registrada na Junta Comercial. Tudo ocorreu na maior lisura e transparência. Não acompanhou quem não quis. As assembléias eram públicas e amplamente divulgadas em toda a região . Todo esse trabalho teve inicio a 31/04/1999 e se encerrou a 10/12/2003. Durante todo esse período a sede social esteve aberta para atendimento. Os documentos estiveram a disposição para consulta. Os diversos meios de comunicação registraram reportagens , comunicados, editais , extratos de atas , Na Junta Comercial estão as atas de todas a assembléias; na Receita Municipal, Estadual e Federal estão os comprovantes de como as dívidas encontradas foram saldadas,.Os documentos arquivados. Um Processo movido pela Cooperativa ainda corre no Tribunal de Justiça e outros se encontram arquivados no Foro Distrital de Caieiras. Quase quatro anos se passaram sem nenhuma contestação no tempo legal, seja de associado ou credor e agora uma CPI ! Dá licença! Mais de mil pessoas de toda a região e até de cidades distantes são testemunhas. Ouçam-nas.

Mensagem enviada dia 16/11/2007
Nome:  helio de oliveira
Assunto:  atéquando?
E-mail:  [email protected]
Até quando vão suportar estes politicos que dizem que a cidade de caieira e limpa.é uma sugeira geral é esgoto a céu aberto, lixo nas rua, fora o cheiro do lixão.quando chuve o cheiro de menda é muito grande, por que esgoto é jogado no corrego não tem tratamento, e nos pagamos por isso. porque pagar esgoto? se não tem tratamento,isto é uma vergonha!

Mensagem enviada dia 10/11/2007
Nome:  Ana
Assunto:  Concurso Caieiras
E-mail:  [email protected]
Olá, gostaria de fazer uma reclamação sobre o Concurso Público realizado pela Prefeitura de Caieiras. Quando fiz minha inscrição, confiei na seriedade do concurso, e na instituição que o realizou, mas parece que me enganei. No edital não constava a data a ser realizada a prova,então depois de passado um tempo, verifiquei que a faria no dia 11/11/2007 as 17:00. Depois de um tempo, mudaram a data para o dia 18/11/2007 as 09:00, e agora, mudaram de novo, voltou a ser no dia 11/11/2007 as 17:00. É uma completa falta de respeito tratar, e brincar com as pessoas dessa maneira. Pessoas que pagaram pela prova, confiando na seriedade da instituição e na boa organização do concurso. Grata pela atenção.

Mensagem enviada dia 08/11/2007
Nome:  Prof.Alcides
Assunto:  faculdade
Foi aprovada uma lei pelos vereadores autorizando a prefeitura ceder espaços para a faculdade metropolitana através de convenio,já deram o prédio lembram-se?.Essa lei nem foi devidamente discutida.

Mensagem enviada dia 08/11/2007
Nome:  Milena
Assunto:  EMED Caieiras
Estou pasma com atendimento no setor de ginecologia do hospital EMED, ontem cheguei com minha irmã que estava com hemorragia e para minha surpresa só havia um GO atendendo as pacientes e fazendo partos, além da minha irmã, havia uma outra grávida quase tendo seu filho no corredor, achei um absurdo, ficamos lá na espera por uma hora e meia e nada! Fui obrigada a sair com ela correndo de lá pois ela já estava fraca e desmaiada, fui ao Plena aonde fomos atendida prontamente, peço que a dirigencia do hospital tome providências pois o EMED está virando uma vergonha para a população de Caieiras!!!!

Mensagem enviada dia 06/11/2007
Nome:  Municipe da Vila Miraval
Assunto:  MAC - Caieiras
Olá boa tarde, sou eu novamente... recebi a informação que uma área pública está sendo destinada para a criação de um clube para os servidores do municipio? E a população caieirense? depois de uma semana de muito trabalho leva seus filhos aonde? a sim lembrei só somos importante na hora de votarmos e pagas nosso impostos, fora disso não somos problema de ninguém... CAIEIRAS NUNCA DEIXARÁ DE SER UMA CIDADE DORMITÓRIO... PORQUE NOSSOS REPRESENTANTES NÃO DEFENDEM PROJETOS DE BEM COMUM PRA TODOS E SIM O QUE ELES DE CERTA FORMA PODERÃO USUFRUIR E DINHEIRO... QUANTO DINHEIRO DO MUNICÍPIO SERÁ GASTO PARA DAR LAZER PARA OS SERVIDORES?

Navegação:   Anterior | 0 | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 | 16 | 17 | 18 | 19 | 20 | 21 | 22 | 23 | 24 | 25 | 26 | 27 | 28 | 29 | 30 | 31 | 32 | 33 | 34 | 35 | 36 | 37 | 38 | 39 | 40 | 41 | 42 | 43 | 44 | 45 | 46 | 47 | 48 | 49 | 50 | 51 | 52 | 53 | 54 | 55 | 56 | 57 | 58 | 59 | 60 | 61 | 62 | 63 | 64 | 65 | 66 | 67 | 68 | 69 | 70 | 71 | 72 | 73 | 74 | 75 | 76 | 77 | 78 | 79 | 80 | 81 | 82 | 83 | 84 | 85 | 86 | 87 | 88 | 89 | 90 | 91 | 92 | 93 | 94 | 95 | 96 | 97 | 98 | 99 | 100 | 101 | 102 | 103 | 104 | 105 | 106 | 107 | 108 | 109 | 110 | 111 | 112 | 113 | 114 | 115 | 116 | 117 | 118 | 119 | 120 | 121 | 122 | 123 | 124 | 125 | 126 | 127 | 128 | 129 | 130 | 131 | 132 | 133 | 134 | 135 | 136 | 137 | 138 | 139 | 140 | 141 | 142 | 143 | 144 | 145 | 146 | 147 | 148 | 149 | 150 | 151 | 152 | 153 | 154 | 155 | 156 | 157 | 158 | 159 | 160 | 161 | 162 | 163 | 164 | 165 | 166 | 167 | 168 | 169 | 170 | 171 | 172 | 173 | 174 | 175 | 176 | 177 | 178 | 179 | 180 | 181 | 182 | 183 | 184 | 185 | 186 | 187 | 188 | 189 | Próxima

Atenção:
As mensagens são publicadas na integra, e não passam por revisão ortográfica, a fim de preservar o original. O Jornal A Semana não se responsabiliza pelo conteúdo das mensagens, cabe as autoridades competentes verificar a veracidade das mesmas e tomar as devidas providências. As mensagens enviadas para a coluna "Fala Cidadão" não refletem a opinião do Jornal A Semana, que se pauta no direito de expressão dos leitores.

Voltar