» Colunas » História » Caieiras Antiga

A “República” de Caieiras - 3ª parte

 

 

 

--Dinho? Sobre a casa do Jorge Saqueira já conversei com a Vera e... Opa, Saqueira não, é Siqueira. Continue você descrevendo nossas lembranças.
--Pois não, deixa comigo. Então, esta casa aqui é a do Domingos Toigo, casado com a Dona Clemenes, e são três os filhos: Madilene, Ronaldo e a Valéria.
--Orra é mesmo. O Ronaldo é o Zuzu, o melhor ponta esquerda da região. Falava-se que os diretores de um time de futebol profissional vieram até aqui convencê-lo a jogar futebol no time deles e o Zuzu não quis saber. Ela já era um titular do time dos apaixonados e quando se era desse time ninguém o trocava por outro. O Zuzu sempre estava em concentração lá na Vila Ilha das Cobras.
--Parece que isso foi verdade sim e agora aqui é a casa do Senhor Galker, esposa e o filho Joaquim. Aquele ainda bem jovem que tomou formecida e morreu.
--Opa, perai Dinho! O alemão Galker morou aqui? Lembro-me dele naquela casa a beira do rio onde antes morou o Julio Valbuza e a esposa Ditinha e onde o Joaquim se matou e tudo por causa de uma namorada. Isso eu sei porque antes de sua morte ele me confidenciou o quanto estava sofrendo por causa dela. Você se esqueceu da filha do Galker, a Linori, aquela alemãzinha bem apetitosa.
--Vocês dois, hein? São chegados nos detalhes, mas, até que está sendo bom.
--Ah, ah, ah, ah. Ah, Vera não enche o saco. Quando ficar velha como nós, você não vai ter pressa pra mais nada.  Viu, precisamos avisar o Dinho que nossa conversa está sendo difundida pela região através da Radio 96.5 FM pra ele não falar besteiras.
--Sério? Mas como? Isso é brincadeira não é?
--Não Dinho, nós temos um “link” aqui nesta pasta. O Talico está lá na Estação de Rádio nos assessorando na parte técnica. Agora que está sabendo tomara que você não fique mandando beijos pra Maria, aquela do bife a milanesa gostoso.
--“Eta nóis”. Bom, aqui é a casa do Carlos Bayerlein, Dona Marina, a professora e os filhos Luiz Carlos, Roberto e Mariliza.
--Ah Dinho, o irmão mais velho, o Luiz Carlos eu o conhecia como Douradinho.
--Casa agora do Senhor Antonio Siqueira, esposa e os filhos Oswaldo, Paulo...
--É, parece que faltou um irmão ai. O Oswaldo não é aquele casado com a Lilda Guilharduci e que faleceu muito cedo?
--Ele mesmo. E nós voltamos agora para início da rua do lado direito das casas?
--Não, perai, telefone tocando, eu falei em desligar e não desliguei. Alô pode...
--Viu aqui é o Talico outra vez. Tem um cara de Jaguariúna ouvindo o programa querendo falar com você e pelo ar. Posso completar a ligação?
--Mas que saco, esses caras não tem o que fazer, não? Pode completar.
--Alô, alô! Estou aqui pela internet ouvindo o programa e queria participar.
--Olá Francisco de Freitas, o famoso Chico Trem. Você nem imagina como é agradável receber telefonemas de ouvintes, ainda mais de você, um saudosista.
--Viu logo você, o Sucuri e a Vera vão descrever as pessoas de uma casa onde também morou o tenebroso Josef Mengele conhecido como o “anjo da morte”.
--Caramba Chico Trem, o Renatão Satrapa já telefonou aqui e me falou sobre ele. Disse-me que o homem andava pela rua vestido com um sobretudo preto escondendo o rosto e já lhe tinha dado tapinhas na cabeça.
--Ah, ah, ah, ah, então o Renatão foi abençoado. Mas é verdade sim, o homem até trabalhou na Cia Melhoramentos lá na oficina de Caieiras. Uma vez o Leonel Del Porto me falou para tomar cuidado com ele porque ele era perigoso. Não sabendo porque pensei que ele pudesse me fazer mal, você sabe o que é, né?
--Sei sim Chico Trem, você pensou que ele pudesse te enrabar não é? Ah, ah, ah.
--Ah, ah, ah, ah. E você fala isso perto da Vera? Os ouvintes não chiam?
--O que é que tem? Ela e os ouvintes são fãs da Dercy Gonçalves, então...
--Mas viu, o Mengele ficava numa salinha lá na oficina e ele queria roubar a posição de chefe que era do Fabio Tomita que morou por ai onde vocês estão. Eu era da seção expedição e vivia sujo de tinta o dia todo. Falei com o Tomita e ele me arrumou a vaga de desenhista que era do Santiago, aquele do Tancão.
--Legal, mas Chico Trem, o Josef Mengele foi um benfeitor da humanidade. Lá na Alemanha as crianças judias faziam fila para trocar a cor dos olhos, pois, naquela época não havia ainda as lentes de contato coloridas. O Mengele trocava a cor dos olhos delas não sei se com as tintas Marca Suvenil ou Coral.
--Que coisa, não? Um dos mais procurados do mundo vivia feliz em Caieiras.
--Pois é Chico Trem, mais alguma coisa? Precisamos continuar aqui e...
--Não, valeu essa nossa conversa, viu? Vou continuar ouvindo e relembrando.
--Eu não vi nada, mas, obrigado... Tchau... Desligando... Vera Dinho ou Dinho Vera, essa conversa ai do Josef Mengele não estava no programa. Algum ouvinte poderá pensar que Caieiras é um ninho de ratos e cobras ahahahahahahahahah. Ai, ai, ai, este equipamento de transmissão está pesado e até agora a Vera nem me ajudou a carregá-lo. Fica ai dando uma de madame “eu morei em Orlando, agora moro em Campinas e nhem, nhem, nhem. Ah vai se ferrá, grande coisa isso. Vai Dinho “procilga” falando das casas e de seus moradores.
--Sim, mas, vamos voltar lá do começo para as casas do lado direito da rua ou vamos mais lá pra baixo.
--Você se lembra onde era a casa do Paulo Schults? Aquele alemão alto? Cara, quando me lembro dele me vem na mente o Golem.
--Nossa o que é isso? O que tem a ver com o que estamos fazendo aqui?
O Golem te explico o que ele era. Os cabalistas judeus criaram um boneco (um homem) de barro e no rosto e na testa dele escreveram umas letras hebraicas e o boneco criou vida e saiu andando atormentando quem ele encontrava.
--Mas que coisa! Você está falando besteira. Concorda comigo Dinho?
--Concordo Vera, o Jacaré às vezes pisa na bola, eu o conheço.
--Se vocês acham que é besteira a culpa não é minha. Vão vocês dois se queixarem pro autor do livro, Gustav Meyrink.
--Mas por que você quando se lembra do Paulo Schults se lembra também dessa coisa que você falou ai?
--Boa pergunta Dinho. Eu também não sei. Sabe, a memória é terrível. Quando estive lendo o livro “O Golem” minha mente veio até aqui na Vila República e me vi vendo o Paulo Schults andando por aqui. Sei que nada tem uma coisa a ver com a outra, mas, a memória com suas associações... Fazer o que, né? Mistérioooooooooooooooo. Por falar em mistério Vera, penso que o Dinho nunca teve algum vício. Acho que ele nunca fumou na vida.
--Verdade mesmo, eu me mantive sem vícios até hoje.
--Ah Dinho, o homem é valorizado pelos vícios que ele tem. Para as mulheres um homem sem vício não tem graça nenhuma.
--Eu não concordo com você.
--Eu sei Vera. Estou brincando. Eu hein contrariar você? Tenho medo. Bom, vamos continuar com o nosso passeio.

                                                                                                Altino Olympio

 

N.R. qualquer semelhança com  "A República" de Platão não é mera coincidência, Altino Olimpio é a reencarnação atual do filósofo grego.

 

 

 



Leia outras matérias desta seção
 » Radio 96,5 fm quem se lembra?- atualização
 » O Pau de Sebo
 » Ah! aquele lugar encantado
 » Bairro da Fábrica catando lata
 » Baile na Ponte Seca
 » Caieiras de quando ainda era Cresciuma
 » O rio e a infância da minha vida
 » A Barbearia do Zinho e do Osmar
 » Regressão ao paraíso perdido
 » Radio 96.5 fm
 » Fala Vardinho- O Pedregulho x Charco Fundo
 » Os vendavais de outrora
 » Adeus dia de Finados
 » Existiu um paraíso II
 » Existiu um paraíso III
 » Existiu um paraíso I
 » O cinema pegou fogo
 » Animais no baile
 » Ele foi uma presença marcante
 » Ficou na saudade
 » Tristeza no Paraíso
 » O amendoinzeiro
 » CRM a Verdade sobre o segundão do extra
 » Gritos de desespero   
 » Elpidio Pereira da Silva
 » Como era o nosso mundo
 » Tudo passou e tudo sempre passa
 » Clube da Terceira Idade de Caieiras
 » As locomotivas
 » Dia dos mortos alegre para os vivos
 » O veado do Monjolinho
 » 100 anos da Igreja do Rosário
 » Festas na Igreja de Nossa Senhora do Rosário
 » A Vila Leão história agora
 » Os bailes de outrora
 » Tentações religiosas
 » Anito do CRM
 » Fumaça da saudade
 » Homenagem a Fausto Menuchi
 » Minha infância no salão de festas do Brasil F.C.
 » A rua da pensão
 » M.A.B.R.A. o antigo cine-clube Mabra de Perus
 » Sergio Valbuza o Maestro e a cultura em Caieiras
 » troca de emails entre melhoramentinos
 » Tempos antiquados
 » A ponte do encantamento
 » Pedro Delarissa
 » A cadeira do Ditão
 » O lado sombrio da Melhoramentos
 » Os Pardais
 » A Sucuri vomitadora
 » O Segundão do Extra
 » Marreco
 » Um pouco da velha guarda
 » Stoffflauflaff
 » Vivaldi
 » Conversas com caieirenses
 » Zé Marcondes, pessoa especial.Acabou ? Não, está começando...
 » Um Circo em Caieiras
 » A Represa
 » Adeus Vivaldi
 » Grupo Escolar Alfredo Weiszflog
 » A piscina dos alemães
 » Festas na Igreja de Nossa Senhora do Rosário Versão II
 » Translado mental ao passado ou a Maquininha
 » Parque de diversões em Caieiras
 » A Loja da Fonsina
 » O caminhão pau de arara
 » A maquininha das nossas vidas
 » A serrinha da saudade e do medo
 » O sorveteiro da Vila Leão
 » Jovens Tardes de Domingo
 » Natal numa casa da Rua Guadalajara
 » Casa da bomba
 » Maquinaia
 » Os "craques" do CRM
 » Nilson da C. e a Perus Pirapora
 » O Fred safena surrupiava peixe do Satrapa.....
 » Brincadeiras na rua 4
 » Igreja do Rosario foi tombada
 » O espia fogo
 » O gago isolado
 » Antigamente tudo era tão diferente
 » O desabafo da Fatinha
 » Os secos e molhados de Caieiras
 » Missa na Igreja N.Sra.do Rosario
 » O Armazém da Fábrica
 » Vem comigo
 » Radio 96,5 fm Antiga Caieiras de nossa gente
 » Cleonice Canella - Bairro da Curva
 » As festas de Santo Antonio
 » Nilda Josephina Pastro
 » O Banheiro da Estação
 » Carne peluda
 » Email da Zenaide A. Angerami
 » Família Vinci
 » Outra história de veado
 » Os veados da Cia Melhoramentos
 » Banho de bacia na Vila Leão
 » Família Baboim
 » Almoço de domingo na Vila Leão
 » Querem salsichada e chopada
 » A salsichada sai ou não sai ?
 » Semana Santa na Vila Leão
 » Estadinho do PIF
 » Outra ausência - Mauri Rodrigues
 » Horto Florestal
 » Toninho Mantovani aparece!
 » Gilberto Lisa (Andú) dá notícias
 » Dona Gioconda Lisa, 93 anos
 » A Rua do Escritório
 » O Pé de Ferro foi embora
 » Um carnaval no salão nobre
 » Vicente e Gioconda Lisa
 » A “República” de Caieiras - 4ª parte
 » D. Lydia Meneghini protesta
 » O vendedor de sandálias havaianas
 » A “República” de Caieiras - 3ª parte
 » A “República” de Caieiras – 2ª parte
 » A “República” de Caieiras - 1ª parte
 » Noite alta e céu risonho
 » A velha Vila Nova – 5ª parte.
 » A velha Vila Nova – 4ª parte
 » Santo Dio, como dizia a nona!
 » A velha Vila Nova - 3ª parte
 » A velha Vila Nova – 2ª parte
 » A velha Vila Nova - 1ª parte
 » Velório dos encontros
 » Espetáculo da vergonha
 » O saudosista
 » As mulheres da plantação
 » Vá catar goiaba
 » Utopia
 » Os mistérios da Volta Fria
 » E.T. na Vila Leão
 » Passeio até a Vila Leão-3a. parte
 » Passeio até a Vila Leão-2a.parte
 » Passeio até a Vila Leão-1a. parte
 » O G.E. Alfredo Weisflog e o caixa
 » A segunda dança no salão nobre
 » Bairro da Curva
 » Vila Pansutti
 » A praça da fábrica
 » A vez do Bairro Chique
 » Melhoramentos virtual a nova fábrica de papel
 » Melhoramentos virtual a nova fábrica de papel
 » Melhoramentos virtual, a nova fábrica de papel
 » Melhoramentos virtual a nova fábrica de papel
 » Nene e a Vila Pereira
 » Histórias do Fred Assoni
 » Lembrando os velhos anos novos
 » No balanço das confusões
 » A cadeira com presentes
 » Mais confidências sôbre o segundão do Extra do CRM
 » Segundão do Extra do CRM
 » A cesta de natal
 » O campinho da vila leão
 » Obras de arte em telas de arame
 » A rua da bomba
 » Mirna Machado escreve ao "Tininho" (Altino)
 » A primeira dança no salão nobre
 » Estação de Caieiras em 1949
 » Também tenho histórias(Nilson Rodrigues)
 » O salão nobre da fábrica
 » Calouros em desfile, lá na fábrica
 » Os jardins da Vila Leao
 » Caieiras pagou pelo mico
 » Fotos só de homens?
 » O conserto da TV
 » O quartinho mal assombrado
 » Toninho de Pádua
 » Confissões melhoramentinas...
 » Dona Cida costureira
 » A família Moraes da Vila Nova, fábrica
 » A ponte romântica
 » Os equilibristas do bairro da fábrica
 » Cemitério de desconhecidos II
 » Cemitério de desconhecidos
 » Sõbre a crônica o apito da fábrica
 » O apito da fábrica
 » Cabelo cheiroso ?
 » Terra da promissão ?
 » A 1ª greve na Cia Melhoramentos II
 » A 1ª greve na Cia Melhoramentos
 » Paraiso perdido dos melhoramentinos
 » A caveira velada ou o malvado Zé Polato
 » A árvore que chora
 » Colchão de palha de milho
 » Amendoim e sorvete de groselha
 » Empilhando latas
 » Harue Sato
 » Bem vinda Fátima Chiati
 » Derrota previsível
 » Futebol ou amendoim?
 » Gente catando lata
 » Família Sato
 » O Jardim de Infância em 1963
 » Turma do cachecol
 » A dupla magistral
 » Ruina decifrada em Caieiras
 » CRM 50 anos
 » Contato feliz
 » Nadando no passado
 » Altino rasgando sêda
 » Professor Alcides
 » Zinho (José Olímpio)
 » O passado se desfazendo (Antonio Nani- Tiro de guerra)
 » Baile da saudade ou....
 » Eu também fui da Cruzadinha
 » Os Pastros da Vila Nova
 » Família Maderick
 » Na fábrica não tinha veado, só na mata
 » Noite de ouro em Jarinu
 » Procura-se
 » Inhá Dalina e Satonino
 » Zé Polato, mais um caieirense se foi...
 » Que Cidadezinha!
 » Jardim dos pedreiros
 » Ecos, apenas ecos
 » Quase entrou no céu
 » Cade você?
 » Pirapora
 » Chaminé da fábrica
 » Coqueiros das recordações
 » Rua dos Coqueiros
 » A cadeira do Ditão
 » Tempos Felizes
 » As dez regras do futebol de rua
 » O mundo era mais infantil
 » Brincando de médico
 » Pau de amarrá égua
 » Crianças obedientes
 » Viagem ao passado
 » Lembrando das procissões
 » Mulheres difíceis
 » O fim do baile
 » Enterro maluco!
 » O mundo parou...
 » Foram dádivas
 » Tudo terminou...
 » Claudio Cardoso escreve
 » Mais uma do Zé Polato
 » Neta do Totó (Antonio A. Vieira) lá do monjolinho
 » Rafael e Ricardo Masini
 » Malas artes
 » O tanque de concreto
 » Saudades, que mentira
 » Bairro da curva
 » Salão nobre
 » Então é assim?
 » Passando pela Rua Tito
 » Filme de uma saudade
 » O trem das oito
 » Dor alemã
 » Terra do esquecimento
 » Passado no Presente
 » Lembranças da "bocha"
 » A vida era uma bocha
 » Saudades do CRM e da Rosana
 » O antigo Cruzeiro da igreja
 » Piquenique e a saudade deles.
 » Passado não passado
 » Saudoso de Caieiras
 » Saudades... Que Mentira!
 » Dor que Mata em Vida
 » A Última Maquininha.
 » Caieiras dos Canibais
 » Dona Maria do Bento Cutia
 » Caieiras Antiga Morrendo
 » Outro Levou a Culpa
 » Passado Erótico
 » Tristezas
 » Proteção Incontestada
 » O Padre gostoso
 » Nem Chaga o Tempo Apaga
 » Pirapora Não Era Como É Agora
 » É o cúmulo, o filósofo queria ser bicha!
 » Festas na Igreja, bons tempos
 » Suruba espiritual
 » Saudades do bairro da fábrica
 » Escandalo no baile
 » Sensação no pau de arara
 » A Torre Solitária
 » Cemitério do mistério
 » Molecagens com o Marcos Muniz
 » Um raro retôrno
 » O menino na ponte
 » Au, au, miau, miau, miau.
 » Casamentos
 » A Ponte dos Desejos
 » Arquivo da memória
 » Homenagem A Uma Gaúcha
 » Primeiro de Maio
 » Parabens Nossa Senhora do Rosário!
 » O trem
 » Papai e Mamãe
 » Esperada Excursão
 » Excursão a Santos
 » Lembranças da “Curva”
 » Assim Surgiu “Caieiras”
 » E-mail de Mirna Machado
 » E-mail de Francisco J. V. freitas
 » E-mail de Francisco J. V. freitas
 » E-mail de Francisco J. V. freitas
 » E-mail de Mirna Machado
 » Salão dos Sonhos
 » Éramos Anjos
 » Um Dia de Pânico
 » Surpresa Sinistra
 » O Espetáculo
 » Uma Noite nas Alturas
 » O Paredão
 » Trilhos da Lembrança
 » Dez de Maio de 2002
 » Também sou Filho de Caieiras -Alceu Massaia
 » E-mail de Alceu Zerbinatti
 » Ilhas das Cobras - Parte 1
 » Ilha das Cobras - Parte 2
 » Ilha das Cobras - Parte 3
 » Peraltices
 » Fogo no Rabo
 » Mascarados
 » Que Aventura
 » O Menino da Serragem
 » O Céu, o Sol e o Lago... Que mais?
 » Apanhei Sim e Daí?
 » O Cucita Banana
 » Breve Retorno
 » Mundo Humano-animal
 » Gente Nossa
 » Rudi Satrapa
 » Esta homenagem fiz aos dois amigos aniversariantes José Polato e Altino Olimpio
 » Caieiras, Nosso Berço, Nossas Raízes
 » Caieiras, 46 anos de idade e outras décadas de história e recordações
 » Saudades da antiga Caieiras, mas feliz com o seu progresso
 » A arte de preservar a memória e a história
 » Imigrantes construíram a história
 » Serpa é localidade antiga da cidade
 » Paródia de músicas juninas
 » Homenagem ao seu aniversário
 » Padre Humberto ampara a comunidade
 » Fonte de fé na igreja Nossa Senhora
 » Igreja de Santo Antonio, 68 anos
 » Obreiros da vida eterna
 » Artistas da região pintam Caieiras
 » Nasce a primeira banda de Caieiras
 » Maestro iniciou a profissionalização
 » Destaques na carreira
 » Destaque para os regentes das bandas
 » Surge uma nova orquestra na cidade
 » Música acompanhava o progresso
 » Corporação Musical Melhoramentos
 » Tião viola
 » Caieirenses fazem sucesso na região
 » Curitiba presidiu o Clube da Fábrica
 » Basquete caieirense revela seu ícone
 » Atleta é colecionador de bicicletas
 » Símbolo do atletismo caieirense
 » Rudi Satrapa
 » Email enviado em 13/08/04 (Rudi Satrapa)
 » Não leia, é para os saudosos
 » Caieiras Vesgavisão apresenta
 » O Começo
 » O Dia em que enrosquei o saco
 » Estavam todas banhadas... ou todos fomos gatos...
 » Vivaldi Nani e o porre nos moleques
 » As bombas de xuxu
 » Cultura e zoologia
 » Ficou na saudade
 » Dicionário Caieirense
 » Caieiras nosso berço, nossas raízes
 » Caieiras nosso berço, nossas raízes II
 » Caieiras, quem te viu, quem te vê, te ama e sabe porque !!!
 » De Volta ao passado II - Os apelidos
 » Homenagem de Marlene Sálvio a Caieiras
 » Esta é para o dia de São José
 » O trem que passou na minha vida!
 » O empreendorismo de Assis Fernandes
 » Caieiras que eu conheci

 

Voltar