25/05/2023
O amor venceu

Quando eles se conheceram, ele tinha 13 e ela 9

anos.

Na época, a diferença de idade era bastante

relevante.

E embora ela ainda fosse uma criança e ele um

adolescente, era impossível negar o olhar

especial dele quando se encontravam.

Moravam no mesmo condomínio e costumavam

ficar batendo papo no jardim do prédio junto com

outros colegas que residiam lá também.

O tempo foi passando e a amizade dele

com ela e meus outros filhos só aumentou.

Não demorou muito, ele começou a

frequentar minha casa e todos passavamos

horas

conversando e jogando jogos

de tabuleiro.

À medida que ela crescia, o interesse dele se

intensificava.

Quando ela completou 13 anos, encontrou seu

primeiro namorado.

Sem imaginar que isto estava por acontecer, ele

sentiu a frustração do desencontro.

Ele esperou demais, ou talvez ela tenha se

apressado.

A notícia da ruptura com o namorado acendeu a

esperança de que poderia aproximar-se.

Infelizmente ele não conseguiu expressar seus

sentimentos, antes que ela partisse para viver e

estudar em São Paulo, na casa de seu pai.

Apesar de seguir sua vida, era visível que ele não

a esquecia.

Conheceu várias garotas, namorou e sempre que

tinha chance , perguntava dela para mim.

Eu achava graça e para falar a verdade, nunca

achei que havia algo especial ali, porque ele era

muito carinhoso com os meus outros filhos

também.

Em São Paulo, ela arrumou outro namorado.

Ele então, cada vez que ele perguntava dela,

começava com “ cheguei atrasado de novo?”começava com “ cheguei atrasado de novo?”

Chegou o dia que depois de sua habitual

pergunta, contei para ele que ela se casaria.

Foi nesta ocasião que percebi que realmente ele

gostava dela e que não se tratava de um amor

juvenil.

Como tudo, a vida de cada um foi tomando seu

rumo, ele finalmente resolveu se casar e nós até

fomos assistir seu casamento.

Os anos passavam, e ele sempre perguntava

para mim como ela estava.

Ele teve dois filhos, ela também.

Por destino ou coincidência, após alguns anos,

os casamentos de ambos começaram a se

estremecer.

Ela separou - se bem antes dele e não demorou

muito, arrumou o segundo marido.

Ele mais uma vez se atrasou.

Ela estava grávida do terceiro filho quando ele se

separou da esposa e me confessou seu amor por

ela e a vontade de revê-la.

Eu arrumei esse encontro dos dois, afinal sempre

foram amigos.

Ele a viu com um barrigão de 8 meses e passou

a acompanhar a vida dela através de mim.

Nessas alturas ela já tinha percebido o erro que

cometeu com o segundo casamento, mas tocou

a vida.

Foi viver na Bahia com esse marido, lutou muito

para manter a família, mas um belo dia cansou e

voltou para viver apenas com seus filhos.

Cansada e desiludida, não acreditava mais no

amor.

Foi então que ele se aproximou de novo.

Eles precisaram de um tempo longo para se

entenderem. Ambos estavam feridos e também

não queriam machucar mais ninguém.

Não foi nada fácil, nem para eles nem para todos

os envolvidos.

Filhos de ambos lados, família…nem sempre é

descomplicado um recomeço assim.

As lutas para eles passaram a ser outras.

Mas o tempo…

O tempo foi lento até conseguirem um pouco de

harmonia.

Pouco a pouco venceram quase todas as

batalhas, e ainda vencerão outras, eu espero.

Um dia desses eles se casaram…

Eu queria muito terminar essa história de

amor com “foram felizes para sempre”.

E embora seguramente assim será, aqui quero

deixar registrado que com certeza:O amor venceu.

Selma Esteticista 



Leia outras matérias desta seção
 » O último dos Moicanos. 
 » Pesadelo x Realidade
 » Doces Lembranças
 » A Bisa e os cueiros
 » A danada
 » Sonhos de um palhaço
 » Engripou o motor
 » Jogando esterco no mundo
 » Ação e Reação
 » O amor venceu
 » Viagem na máquina do tempo
 » Na escola da vida
 » Parte de quem parte,fica!
 » Nostalgia mineira
 » Para você amiga Lùcia
 » Rabo verde
 » É Natal ?
 » Você está aí velhinho ?
 » Para minhas flores
 » Sem limites para sonhar
 » Uma noite no cemitério
 » Mostrando as caras
 » Caixa de Pandora
 » De novo, outra vez....
 » Batendo na trave
 » A vó maluca e o covid....
 » De repente
 » Uma mulher aos 44 anos
 » Meus queridos, meus velhos, meus amigos!
 » Cala a boca Magda
 » Fui me despedir
 » O fim de uma história
 » Quando o universo não conspirar desista!
 » Namorado azarado!
 » Descompasso
 » Aparências
 » A Viagem (com a sogra) - Última parte
 » Nossa praia e o novo normal
 » A Viagem (com a sogra) - Terceira parte
 » A Viagem (com a sogra) - Segunda parte
 » A Viagem (com a sogra) Primeira parte
 » Bravas Mulheres ou Mulheres bravias?
 » Sonho e realidade
 » Os Invisíveis
 » Bordado nas estrelas...
 » Vazio...
 » Uma história sem fim...
 » A pior monstruosidade de um ser humano
 » Minha Barbie
 » Uma história de amor
 » Aniversário
 » Abrindo o Baú...
 » Sorrir sempre
 » Direito de Resposta do Mr. Brom
 » Mr. Brom
 » Uma mulher singular
 » Insanidade
 » Divisor de àguas
 » A dor da perda é o tamanho do amor.
 » Enfim
 » Alçando vôo
 » Era uma vez...
 » Triste sina...
 » Voltei para o meu jardim
 » As inseparáveis
 » Idas e vindas
 » As balas
 » O tubinho branco
 » Metamorfose
 » Anjo Negro
 » Agulhada
 » O telefone
 » A bisavó
 » Um anjo em minha vida
 » Para Ela...
 » O cara de pau
 » O mistério da foto
 » Quando a inocência quebra as regras.
 » Uma das minhas Heroínas
 » O convite
 » Mea culpa?
 » Meu filho
 » O trabalho
 » A prova
 » O doutor
 » O porta malas
 » A menina belga
 » O mistério
 » A fotógrafa
 » A curiosidade quase mata a gata
 » O espanhol vaidoso
 » Vita a problemática
 » Luzia um drama comum

Voltar